Alimentos capazes de controlar o colesterol e regular a pressão arterial

Morango, soja, mirtilo, iogurte, clara de ovo, chocolate amargo; conheça os diversos alimentos que controlam o colesterol e regulam a pressão arterial

veia com colesterol alto
Foto Istock.com/Getty images

Apesar de apresentar funções importantes no organismo, como a produção de hormônios e de vitamina D, o colesterol – um tipo de gordura – precisa ser controlado. Quando está em excesso no sangue é prejudicial, aumentando os riscos de a pessoa desenvolver diversos tipos de doença, como as cardiovasculares. Além disso, outro problema que pode comprometer o funcionamento do coração é a hipertensão.

veia com colesterol alto

Foto: iStock

Ela é causada, principalmente, devido à contração dos vasos em que o sangue circula, podendo resultar em rompimento ou entupimento das artérias. Com isso, é possível que a pessoa sofra um derrame ou tenha um infarto, por exemplo. E é justamente por isso que esse problema deve ser combatido.

Uma boa alternativa para manter os níveis de colesterol na medida indicada por especialistas e evitar que a pressão fique elevada é consumir alimentos capazes de proteger a saúde nesse sentido. Pronto para conferir algumas opções?

Abacate

Essa fruta é rica em ômega-3, uma gordura benéfica ao organismo. Contudo, é considerada muito calórica e, por isso, ficou longe da mesa dos brasileiros por muito tempo. Então, é aconselhável consumir o abacate com moderação para aproveitar seus benefícios.

Azeite

O ômega-3 e o ômega-9, gorduras conhecidas por serem benéficas ao coração, podem ser encontrados no azeite. Dessa forma, esse alimento, além de prevenir a formação de placas de gordura nas artérias, também reduz o mau colesterol (LDL) e aumenta o bom (HDL).

Banana

Como contém bastante potássio, essa fruta torna-se uma ótima aliada no controle da pressão arterial. Uma dieta rica nesse nutriente contribui para a eliminação do sódio do organismo, auxiliando na redução da pressão.

Beterraba

Esse legume é rico em uma substância chamada nitrato, que é conhecida por ser a precursora do ácido nítrico – um potente vasodilatador natural. Para confirmar isso, existe um estudo da Universidade Queen Mary feito com hipertensos que demonstrou que os pacientes que consumiam 250ml de suco de beterraba tinham uma redução da pressão arterial.

Chocolate amargo

Quando consumido com moderação (30g ao dia já é suficiente), esse alimento proporciona vantagens ao organismo, como maior disposição e melhor funcionamento cerebral. Além disso, o chocolate amargo também é capaz de reduzir os índices do mau colesterol.

Clara de ovo

Segundo especialista da Universidade Jilin (China), a clara do ovo possui uma substância conhecida como peptídeo, que tem a capacidade de inibir uma substância que contribui para o estreitamento dos vasos sanguíneos e, consequentemente, para o aumento da pressão arterial.

Iogurte

Assim como o leite e seus demais derivados, esse alimento é uma importante fonte de cálcio, o que estimula a redução do sódio do corpo. Essa ação tem a capacidade de controlar a pressão arterial (mas lembre-se de escolher a opção com menor teor de gordura).

Mirtilo

“Ele combate os radicais livres, é anti-inflamatório, melhora a circulação e reduz o colesterol ruim”, afirma a nutricionista Paula dos Santos Ribeiro.

Morango

Cientistas das universidades de East Anglia (Inglaterra) e Harvard (Estados Unidos) acompanharam os hábitos de cerca de 156 mil pessoas ao longo de mais de 10 anos e perceberam uma diminuição de quase 10% no risco de hipertensão entre os consumidores de morango e outras frutas vermelhas. A explicação é porque elas são ricas em antocianina, um antioxidante que dá cor a essas frutinhas, responsável pelo combate e radicais livres.

Soja

“O consumo de proteína de soja diminui o índice do LDL (colesterol ruim). As gorduras encontradas nesse grão são as poli-insaturadas e as monoinsaturadas, que não provocam obstrução de artérias”, ensina Márcia Dal Médico, nutricionista.

LEIA TAMBÉM:

Consultoria: Flávia Morais, Márcia Dal Médico e Paula dos Santos Ribeiro, nutricionistas

Texto: Larissa Tomazini