Cinta modeladora funciona? Especialista esclarece e dá dicas

Confira os benefícios e malefícios do item

fotos de pessoas famosas usando cinta modeladora
Por Monique Lima - 28/06/2019

Fotos: Reprodução/Instagram

Muitas mulheres desejam ter uma cintura fina e acabam recorrendo a diversos métodos para conseguir essa meta.  O uso da cinta modeladora, por exemplo, é um dos recursos mais usados por famosas como Sabrina Sato e Gracyanne Barbosa para delimitar essa região do corpo.  Mas será que a cinta modeladora funciona? Para acabar com as dúvidas, conversamos com as fisioterapeutas Andressa Baldim e Mariana Moreira. Confira a entrevista!

Cinta modeladora funciona? Especialista esclarece e dá dicas

A cinta modeladora é uma peça destinada a modelar o abdômen e definir o contorno corporal da região. Seu uso deve ser associado à aplicação de cosméticos termogênicos, dieta e exercícios físicos para obter resultados satisfatórios, pois, caso seja utilizada isoladamente, apenas deixará o abdômen comprimido – o que pode passar uma falsa sensação de emagrecimento – no entanto, a gordura localizada não será eliminada.

De acordo com as profissionais, existem diversos modelos de cintas modeladores disponíveis no mercado. Mas apesar de todos eles terem um objetivo em comum – que é proporcionar definição para a região abdominal – cada tipo também age de maneira diferente no corpo.

“A cinta abdominal é utilizada para corrigir a região abdominal. Calça com cintura alta é mais indicada para corrigir culotes. As cintas modeladoras corrigem bumbum, abdômen flácido, seios caídos, barriga saliente, celulite aparente e até mesmo a postura corporal. Já o modelo body com pernas é mais indicado para pessoas acima do peso, que querem corrigir várias áreas ao mesmo tempo”, explica Andressa.

 

 

Cinta modeladora funciona? Especialista esclarece e dá dicas

Foto: reprodução/Instagram

Quais são os riscos do uso da cinta?

Por ser um item que irá “apertar” o abdômen, é essencial atentar-se para o nível de pressão que a peça exercerá sobre o corpo, já que, se for em demasia, pode ser prejudicial à saúde e causar varizes ou até mesmo problemas de circulação mais graves, como a trombose.

Além disso, usá-la continuamente e sem pausas pode causar o atrofiamento dos músculos abdominais. “O uso contínuo de cintas modeladoras pode enfraquecer a musculatura, cuja função é proteger e conter os órgãos internos do abdome. O enfraquecimento da camada muscular se deve à possibilidade de atrofiamento da região, o que pode acontecer com a musculatura após dois meses ininterruptos de uso da cinta”, alerta Andressa.

 

Usar plástico filme é uma boa alternativa?

Uma outra tendência que teve grande repercussão na internet foi o uso de plástico filme no abdômen, que estava causando resultados benéficos e foi, inclusive, recomendado por profissionais em alguns casos.

As fisioterapeutas também aprovam este método. “O plástico filme é indicado para aumentar a permeabilidade dos cosméticos à camadas mais profundas, principalmente no que se refere à queima de gordura localizada”, comenta Amanda.

“O aquecimento da região causado pelo plástico filme auxilia na chegada dos cosméticos até as camadas mais profundas da pele, ou seja, aumenta a permeabilidade das células, fazendo com que os efeitos dos produtos seja melhor aproveitado”, complementa Mariana.

Além do plástico filme, é possível optar por outros métodos, como a drenagem linfática, a criolipólise, a massagem modeladora, e a lipoaspiração.

A drenagem linfática ajuda a  reduzir inchaço e melhora/previne celulites. Já a criolipólise, é um método não cirúrgico que trabalha com o congelamento da gordura, para que ela seja destruída.

A massagem modeladora é feita com movimentos intensos e mais fortes, melhorando a circulação da região. Por último, temos a lipoaspiração, que nada mais é do que uma cirurgia em que uma espécie de tubo é inserida no corpo para a retirada de gordura localizada.

 

E aí, o que achou da cinta modeladora? Conta pra gente nos comentários!

 

 

LEIA TAMBÉM: