Crocantes e saudáveis: os chips estão cada vez mais comuns!

Irresistível no sabor e na crocância, a família dos chips está crescendo e se tornando cada vez mais comum. Saiba como fazer e consumir!

maca-desidratada-chips-alimento
Foto: Shutterstock

Todo mundo sabe que para ser ótimo um chip precisa fazer “crec-crec-crec” em alto e bom som. Além, é claro, de concentrar um sabor incrível, geralmente de batata – legume que parece justificar sua existência para tal finalidade. Mas são duas as grandes novidades no ramo dos chamados snacks: eles podem ser preparados sem uma gota de óleo e feitos a partir de quase todos os legumes, frutas e até pétalas de rosas. A seguir, aprenda a preparar seus chips sem abrir mão da saúde.

Maça chip desidratada

Foto: Shutterstock

Tudo é chip?

Chip é o aperitivo feito a partir de um alimento bruto, cortado em lâminas finas e frito ou desidratado para concentrar sabor. Portanto, não existe chip de risoto, por exemplo. Se estiver murcho e úmido, é sinal de que não deu certo

Chips de quê?

Desde que tenha boa quantidade de fibras, carboidratos e açúcares, que ajudam a suportar as altas temperaturas do preparo, e não sejam muito úmidos, como a melancia ou o chuchu, quase todos os legumes e frutas podem ser transformados em snacks. Batata, banana, mandioca, beterraba, abacaxi, tomate, laranja, jiló, goiaba, inhame, cará, mandioquinha, maçã e pera são boas opções.

Qual é a espessura ideal das fatias?

Bem fina! Cerca de 2mm é o ideal para acelerar a desidratação e garantir a crocância do alimento. Além da faca, você também pode se valer de um utensílio doméstico chamado mandolim para realizar o corte.

Dá para fazer no forno de casa?

Sim. A dica é colocar um calço (como uma colher de pau) na porta do forno e um termômetro. Assim, é possível controlar a temperatura não muito alta, que pode queimar ou as lâminas do alimento. O forno elétrico permite regular melhor a temperatura se comparado ao de gás.

Como preparar?

Legumes com maior concentração de água devem ser levemente polvilhados com farinha e desidratados em forno ou estufa aquecida. Já as frutas mais úmidas precisam ser cozidas rapidamente em uma calda de 2 medidas de açúcar para 1 de água. Depois, podem ir ao forno ou desidratadas em estufa em baixa temperatura. Os demais alimentos podem ser diretamente desidratados em forno ou estufa.

Como temperar?

A gosto, com sal, canela e outros condimentos, mas só quando o chip estiver pronto.

Como conservar?

Chip só tem graça se for bem crocante. Por isso, se não for consumi-lo imediatamente, armazene em recipiente totalmente fechado, por até dois dias.

Combina com o quê?

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Puro ou acompanhado de molhos, os chips são ótimas opções de entrada, especialmente quanto associados a pratos que contrastam com sua crocância, como cremes, caldos e sopas.

Não durma com o forno ligado!

Como alguns preparos exigem mais tempo no forno, divida em etapas a desidratação dos alimentos, fazendo em dois ou três dias. Acredite, vai valer a pena!

 

Texto: Redação Alto Astral

 

LEIA TAMBÉM: