Chá verde: conheça os tipos e aproveite todos os seus benefícios

Ele ajuda a emagrecer, protege o coração, combate os radicais livres e desintoxica o organismo

Foto com uma colher de chá verde em close
Um chá completo que garante inúmeras vantagens ao organismo e à saúde | Foto: Shuttertock

Se além de perder peso a sua preocupação também é manter a saúde do organismo, o chá verde é a melhor opção! Ele possui substâncias que agem em nosso corpo nos dando mais energia, acelerando o metabolismo e protegendo nosso organismo algumas doenças. Mas é preciso prestar atenção à sua variedade, as contraindicações e efeitos colaterais. Para ter um organismo blindado e livre de impurezas, confira a seguir as informações e dicas que trazemos para você!

Para aproveitar todos os seus benefícios, é preciso conhecer os diferentes tipos de chá verde. Como são muitas as opções no mercado, esteja sempre de olho em sua composição! O verdadeiro chá é aquele feito a partir da Camellia sinensis. Confira nos rótulos das caixinhas para ter certeza de que você está levando o chá certo para casa. Conheça seus nomes e cada um deles:

  • SENCHA: seu sabor é forte e sua cor verde é acentuada. É bastante perfumado e o mais consumido no Brasil.
  • BANCHA: de sabor adocicado e coloração amarelada, essa variedade é rica em catequinas, que previnem as alterações celulares e consequente formação de tumores.
  • GENMAICHA: é a mistura de grãos integrais de arroz torrados com o tipo sencha ou bancha. Sua cor é próxima ao dourado e seu sabor é menos amargo.
  • GYOKURO: suas folhas e talos são colhidos à mão, razão pela qual seu preço é bastante elevado. Possui aroma acentuado, mas ainda é menos amargo que o tipo mais consumido pelos brasileiros.
  • HOUJICHA: é obtido a partir das folhas e talos torrados da Camellia sinensis. De coloração avermelhada, possui baixa quantidade de cafeína.
  • KONACHA: é bastante amargo, comercializado, em geral, em saquinhos ou em pó.
  • KUKICHA: possui sabor suave e refrescante, uma boa opção para o verão.
  • MATCHA: cremoso e espumante, esse chá é obtido a partir das folhas trituradas da Camellia sinensis. Seu sabor é um pouco amargo.
  • MECHA: é feito com as folhas novas da planta e seu consumo é indicado após as refeições principais.
Foto de uma chaleira e duas xícaras com chá verde

Caso opte por preparar o chá verde com folhas secas, escolha as com verde bem vivo, que são as mais novas. Elas são vendidas em feiras e casas de produtos naturais. | Foto: Shutterstock

Prepare do jeito certo!

Um erro bastante comum que prejudica tanto o sabor do chá quanto a eficácia de suas propriedades medicinais é ferver a água e a erva. Isso mesmo! Além de a bebida ficar amarga, ela perde grande parte de seus efeitos no organismo, como explica a nutróloga Tamara Mazaracki: “quando a água fica muito tempo fervendo, ela perde oxigênio, o que modifica o paladar do chá. Desligue o fogo logo antes de ferver, quando surgem as primeiras bolhas, para se obter o máximo de benefícios da planta. Se puder usar água mineral sem gás, melhor. Coloque a erva e depois despeje a água quente”.

Com o chá pronto, conserve todos os benefícios da bebida reservando ela do jeito certo. Os recipientes de vidro e porcelana são os melhores. Evite utensílios de plástico e de alumínio que podem liberar substâncias que alteram o chá. Seu consumo também deve ser feito horas depois de sua preparação. “O chá verde se mantém estável por até 12 a 14 horas após o preparo. Se for feito pela manhã, guarde em uma garrafa térmica ou jarra de vidro dentro da geladeira e consuma durante o dia. Jamais guarde o que sobrou para o dia seguinte”, salienta Tamara.

A quantidade ideal

Para preparar 1 litro de chá verde, 1 a 2 colheres (sopa) da erva são suficientes. Já para porções menores, 1 colher (chá) rasa é o ideal para 1 xícara (chá). Se o problema é o sabor amargo do chá, uma forma de suavizá-lo é misturá-lo com outras ervas ou sucos naturais de fruta durante o preparo. A dose ideal para obter todos os benefícios que o chá verde pode oferecer é de 2 a 4 xícaras (chá) por dia. Mas atenção: apesar dos inúmeros benefícios que ele traz à saúde, existem algumas restrições ao chá verde que devem ser observadas. Tamara explica que o consumo de chá verde é seguro desde que não haja exagero: “grávidas e pessoas com gastrite ativa devem consumir o chá verde com moderação, no máximo 1 a 2 xícaras (chá) por dia. Também não recomendo seu uso à noite pois pode atrapalhar o sono, já que possui cafeína. Mas, se a pessoa toma café e vai dormir, então o chá verde não vai causar insônia”.

 

Consultoria: Tamara Mazaracki, médica ortomolecular e nutróloga.  www.tamaramazaracki.med.br

 

LEIA TAMBÉM