Causas da laringite: descubra como a doença se manifesta!

Manter bons hábitos de higiene, não abusar de bebidas geladas e evitar gritos são uma das maneiras de evitar o problema. Conheça outras causas da laringite!

Entenda quais são as principais causas da laringite e previna-se de outros problemas respiratórios!
A laringite, diferentemente da faringite, não causa tanta dor. Porém, o problema gera rouquidão e dificuldade na hora de falar. FOTO: Shutterstock

A laringe é uma estrutura do sistema respiratório que fica entre o nariz e a traqueia, responsável por direcionar o ar até os pulmões e também pela fala, pois é lá que se encontram as cordas vocais. Causada por uma infecção nessa região, a laringite é um problema bastante comum e que normalmente não demora a sarar. Podendo ser classificada como aguda ou crônica, a doença pode ser desencadeada por diversos motivos. Saiba mais sobre as causas da laringite!

Principais sintomas e causas

A laringite causa rouquidão, perda da voz e dificuldade de respiração, mas não provoca dores. Geralmente, é causada por vírus, mas também pode resultar da ação de bactérias, de fungos, do uso exagerado das cordas vocais, de tosse excessiva, do consumo abusivo de álcool e cigarros e até aparecer de forma espontânea.  “Típica da primeira infância, a laringite estridulosa é popularmente chamada ‘tosse de cachorro’ e não costuma ser duradoura”, explica o otorrinolaringologista Jorge Feres Succar Neto.


Crises alérgicas que atingem os órgãos respiratórios também podem ser responsáveis por causar laringite


Entendendo a doença

A doença costuma estar associada a outros males como a bronquite e a pneumonia. Quando tem duração breve, isto é, cerca de quatro ou cinco dias, é chamada de aguda, mas, se o período de crise se estende, torna-se crônica, podendo durar até três semanas. Para isso, é necessário consultar um especialista para identificar a causa do problema e adotar uma medida eficaz para o tratamento.

Como evitar

  • Evite ambientes cujo ar seja muito poluído ou tenha baixa umidade;
  • Não entre ou saia rapidamente de um ambiente em que o ar-condicionado esteja ligado. Deixe seu organismo se adaptar à temperatura, para que possa entrar em contato com outro local menos frio;
  • Aparelhos de ar condicionado devem receber manutenção conforme a orientação do fabricante. Caso contrário, o equipamento torna-se um disseminador de microorganismos nocivos;
  • Evite o tabagismo e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas;
  • Mantenha a casa arrumada, limpa e arejada para que não haja acúmulo de poeira, ácaros e pelos de animais domésticos.

 

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Jorge Feres Succar Neto, otorrinolaringologista

 

LEIA TAMBÉM