Pode reutilizar camisinha? Saiba mais sobre os problemas dessa prática

Usar a mesma camisinha mais de uma vez pode trazer riscos para a saúde do casal. Saiba por qual motivo!

Pessoa tirando uma camisinha do bolso da camisa. Camisinha reutilizada
Por Eduarda Souza - 25/10/2018

(Foto: reprodução/PxHere) Camisinha reutilizada

A prática relacionada à camisinha reutilizada foi alvo de alerta por parte do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, nos Estados Unidos, pois a agência identificou que a ação estava sendo frequentemente aplicada pela população americana. Apesar de ainda não terem sido divulgadas pesquisas oficiais sobre o assunto, a reciclagem de preservativo deve ser uma atividade evitada, uma vez que pode causar doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como gonorréia, sífilis e HIV. Assim, a camisinha pode perder uma de suas funções principais, a de proteção.

Riscos da camisinha reutilizada

Foto de duas embalagens de camisinha feminina. Camisinha reutilizada

(Foto: reprodução/PxHere)

O material enfraquece

Camisinhas masculinas são projetadas de maneira específica para assegurar que o objeto seja fixado no pênis durante o ato sexual. No caso do reaproveitamento, o preservativo fica mais largo, tendo em vista que o selo inicial foi quebrado no momento em que o material foi retirado do órgão genital. Consequentemente, há um risco de que o preventivo escorregue durante o sexo, deixando a relação desprotegida.

Possibilidade de rasgar

A fricção que acontece durante o sexo desgasta o preservativo. Dessa maneira, as chances de rompimento da camisinha são maiores, já que o lubrificante original do material também é insuficiente para ser usado uma segunda vez. A camisinha estourada pode, além de transmitir DSTs, aumentar os riscos de gravidez.

Foto de preservativos e um vibrador. Camisinha reutilizada

(Foto: reprodução/Pixabay)

Pode transmitir DSTs

A camisinha serve como uma barreira para impedir que os fluidos produzidos pelo pênis se aproximem do órgão genital da parceira ou parceiro. O preservativo reutilizado permite que o líquido saia do material. Se um dos parceiros tiver alguma doença sexualmente transmissível, ele pode colocar o outro em risco. Mesmo que haja uma lavagem da camisinha, os vírus são microscópicos, então não há garantia que o objeto foi higienizado.

Vale lembrar que o preservativo é muito importante para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Por isso, não reutilize camisinha! Postos de saúde distribuem de maneira gratuita.

Mesmo sendo composto por um material resistente, os preservativos foram elaborados para serem usados e descartados em seguida. Cuide da sua saúde e consulte um ginecologista sempre que possível!

LEIA TAMBÉM