Tintura e alisamento capilar são compatíveis?

É possível combinar tintura e alisamento sem que ocorra a incompatibilidade química? Saiba qual procedimento fazer primeiro e como evitar os danos

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 28/09/2016 às 19:37
Atualizado às 12:11

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

É possível combinar tintura e alisamento sem que ocorra a incompatibilidade química? Desde que os procedimentos sejam feitos com cuidado e supervisionados por um profissional capacitado, você pode alisar e colorir os fios sem medo de ser feliz. “A forma correta é primeiro fazer o alisamento com produtos à base de amônia ou guanidina para depois colorir com um produto sem amônia, tipo tonalizante”, recomenda André de Leone, hairstylist de São Paulo.

Mulher ruiva com tintura tonalizante e alisamento químico

FOTO: Shutterstock.com

Por que usar tintura tonalizante?

Além de os tonalizantes serem compatíveis com qualquer processo químico, eles revestem os fios como um esmalte, protegendo as cutículas e evitando a desidratação. Por isso, nada impede que o alisamento e a coloração sejam feitos no mesmo dia. Porém, o hairstylist recomenda esperar pelo menos três dias para que os cabelos fiquem fortalecidos para, então, receber o tonalizante. Assim, a chance do resultado ficar melhor são maiores. André de Leone explica ainda que “embora existam no mercado vários produtos que garantem proteção aos fios, este é um trabalho que, feito de forma simultânea, necessita da ajuda de um bom profissional especializado em química”. Portanto, nada de fazer em casa nenhum dos dois procedimentos. É importante ainda que o profissional conheça o histórico do seu cabelo, como químicas, tratamentos e colorações anteriores, para aplicar os produtos com maior segurança.

Cabeleireiro aplicando tintura com pincel própria em uma mecha de cabelo alisado

FOTO: iStock.com

Incompatibilidade química

Se você optar por alisar e colorir ao mesmo tempo, é melhor ter certeza de que os produtos aplicados não reagem entre si. Caso contrário, pode ocorrer incompatibilidade de químicas e o resultado será desastroso: os fios ressecam, podendo cair desde a raiz ou quebrar ao longo do seu comprimento ou nas pontas. Quando esse problema acontecer, o hairstylist recomenda: “um bom corte e tratamento de cauterização por pelo menos dois meses, sem química. Quanto à queda, se a incompatibilidade for muito grande, fica difícil salvar o cabelo”, explica André.

Teste da mecha de tintura e outras químicas

É a forma mais segura de avaliar se os fios conseguem suportar procedimentos com químicas ou colorações. É feito aplicando-se o produto em uma mecha do cabelo, três dias antes de aplicar a química por toda a madeixa. Se depois desse tempo não ocorrer nenhuma reação química, o produto poderá ser aplicado. Os riscos serão mínimos e as chances de você ficar satisfeita são muito maiores.

LEIA TAMBÉM

Texto: Aline Alvarenga/Colaboradora | Consultoria: André de Leone, hairstylist de São Paulo

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.