MODA & BELEZA

Roendo as unhas? Confira 6 dicas para largar esse hábito já!

Se você sempre se pega roendo as unhas, confira essas 6 dicas incríveis para largar de vez este terrível hábito. Leia mais

None
Foto: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/01/2017 às 13:35
Atualizado às 20:07

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Se você é da turma que fica roendo as unhas e adora tirar as “pelinhas” que ficam nos cantos dos dedos com a boca, atenção! Essa mania, além de levar sujeira para dentro do seu organismo, pode danificar as suas unhas e causar inflamação na pele. Mas não fique nervosa, pois isso só favorece esse hábito! A dermatologista Robertha Nakamura é especialista no assunto e dá orientações bem práticas para superar o problema.

Mulher roendo as unhas

Foto: iStock.com/Getty Images

Causas da compulsão

A onicofagia ou o hábito de roer as unhas é comum na infância e pode estar relacionada à busca inconsciente de conforto, à insegurança, à má adaptação ou a medos diversos. Já na fase adulta, está mais associado à ansiedade.

Dicas para evitar roer as unhas

1. Na infância, a médica sugere estimular a visualização das unhas bonitas e mantê-las sempre bem cortadas. No caso das meninas, vale aplicar esmaltes e enfeites para que a criança perca a vontade de colocá-las na boca.

2. De forma geral, é preciso cuidar da autoestima e incentivar o alívio da ansiedade nos esportes e em outras atividades recreativas. A ideia é encontrar outra válvula de escape para descontar a ansiedade.

3. Manter as mãos ocupadas com trabalhos manuais, por exemplo, também é uma boa dica para aliviar as tensões e tirar o foco da mania de roer as unhas.

4. Cobrir as unhas com esparadrapos pode ser uma alternativa. Passar pimenta, óleo ou produtos com gosto amargo nos dedos ajuda porque chama a atenção da pessoa e o hábito se torna consciente. Mas é preciso que ela esteja motivada para superar isso.

5. Com frequência, o ato de levar os dedos à boca é substituído por outros, como morder objetos ou mascar chicletes. Isso é válido, contanto que um hábito pior não seja adotado.

6. Em casos mais graves, quando o impulso de roer as unhas parece incontrolável, é recomendado consultar um psicólogo ou psiquiatra para investigar as verdadeiras motivações do comportamento ansioso.

Consequências das unhas roídas

  • Infecção na garganta devido a bactérias presentes nas mãos;
  • Contaminação por parasitoses;
  • Inflamação do tecido ao redor da unha;
  • Deformação e dificuldade de crescimento das unhas;
  • Prejuízo para os dentes, em especial nas crianças.

Consultoria: Robertha Nakamura, coordenadora do Departamento de Cabelos e Unhas e do Centro de Estudos da Unha (CEU)

LEIA TAMBÉM