MODA & BELEZA

Estrias: conheça os diferentes tipos e os tratamentos adequados

Estrias incomodam grande parte das mulheres brasileiras. Aprenda a prevenir ou identificar qual o seu tipo de estria e quais os tratamentos mais indicados.

None
Foto: divulgação/nodramamom

por Redação Alto Astral
Publicado em 31/01/2017 às 16:17
Atualizado às 20:07

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

As estrias costumam incomodar muitas mulheres. Desejando se ver livre dessas cicatrizes, muitas procuram procedimentos clínicos na internet sem ao menos saber o que realmente são, e qual o tratamento adequado para o seu tipo de estrias. Se você quer saber quais são os procedimentos mais indicados para cada quadro, confira:

Estrias brancas, saiba como tratar

Foto: Divulgação/Remediodaterra

O que são estrias?

Estrias são cicatrizes que aparecem quando determinada região do nosso corpo tende a aumentar em um curto período de tempo, de forma que esticam as fibras celulares de nossa pele. Isso pode ocorrer na gravidez, durante a puberdade, com o aumento de peso ou até em casos de pré disposição genética.

Depois que as fibras de colágeno e elastina (que dão firmeza e sustentabilidade à pele) estiram e se rompem, as linhas se formam e se tornam visíveis devido à diminuição da espessura da derme e da epiderme. As estrias podem ter colorações distintas, que indicam o tipo de estrias e a fase em que elas se encontram.

TIPOS DE ESTRIAS

Vermelhas ou arroxeadas: esse tom de coloração indica que as estrias são recentes e que ainda há bastante circulação sanguínea na região das linhas. Com o rompimento das fibras de colágeno e elastina, pequenos vasinhos presentes na pele também se rompem e o corpo precisa cicatrizar o local. Esse aumento da circulação sanguínea na área lesionada, com o excesso de células auxiliando no processo cicatrizante, se combinado com alguns dos produtos e  tratamentos estéticos específicos para estrias, pode-se obter um grande resultado na redução da linhas conseguindo deixar as estrias quase imperceptíveis. Infelizmente, não é possível melhorar 100%, já que se trata de uma lesão nas fibras.

Estrias: há como diminuir sim as linhas de cicatrizes.

Foto: Divulgação/Dicasdobebe

Estrias brancas: Quando a estria perde sua coloração, quer dizer que não há mais um processo inflamatório na região. Logo, as estrias já sofreram o processo de cicatrização adquirindo um aspecto liso ou com uma leve textura. As hipertróficas são as que estão em relevo em relação à superfície da pele, já as atróficas são consideradas as mais profundas. Por já não ter irrigação sanguínea no local, o tratamento para esse tipo de estrias são menos eficazes do que para as vermelhas. No entanto, também é possível melhorar o aspecto das estrias brancas, deixando as linhas menores, melhorando o aspecto da pele de toda a área lesionada e estimulando o colágeno na região a fim de diminuir a flacidez.

Estrias são cicatrizes provocadas pelo rompimento das fibras de colágeno

Foto: reprodução

Tratamentos

Se você não acha que é o momento para investir em procedimentos estéticos, pode começar tentando por métodos menos invasivos como cremes que tem em sua composição por extratos vegetais de plantas medicinais. Os mais indicados são aqueles que carregam ativos de plantas à base de óleos naturais, uma vez que são mais hidratantes. Além disso, muito desses cremes ajudam no aspecto das linhas por estimular as fibras de colágeno a cicatrizarem melhor as estrias.  O óleo pós banho da Nivea, a Loção de Proteínas do Leite, da Hermès e o CicatriSSim, são alguns do produtos indicados para nutrir a pele e ajudar a diminuir essas marcas.

Os cremes podem ser sim, eficientes no tratamento, mas na maioria dos casos é preciso associar o uso destes com procedimentos estéticos para a obtenção de um resultado mais eficaz.

A esteticista e cosmetóloga Luciane D. Silva, diz que o procedimento de microagulhamento também ajuda no tratamento de estrias. O tratamento consiste em microagulhas que estimulam a região das estrias a fim de incitar a irrigação sanguínea no local e induzindo o colágeno para promover uma nova cicatrização no local.  “A radiofrequência também é uma terapia indicada principalmente para as estrias brancas que, além de grandes cicatrizes, apresentam quadro de flacidez. Por meio de ondas de rádio, geramos um aquecimento no local entre 40° a 42° graus e essa temperatura ativará a produção de colágeno na região, ocasionando em uma boa melhora da estria”, explica.

Sim, é possível prevenir!

Estrias podem ser prevenidas com o uso de cremes à base de óleos

Foto: IStock/Getty Images

Muitas mulheres costumam reclamar que as estrias costumam aparecer do dia para a noite, e sim, é de forma rápida que elas aparecem, mas antes o corpo costuma dar vários sinais para que você previna o surgimento destas.

Se você já teve estrias e não corre o risco de ter mais, ainda sim precisa prevenir-se: estrias surgem por um crescimento abrupto associado ao rompimento das fibras de colágeno, porque as tais fibras ou o colágeno que o seu corpo produz é fraco e precisar enriquecer para não afetar em outros âmbitos, como na flacidez de pele. Então que tal, se prevenir ou melhorar o quadro do seu colágeno? Veja dicas:

  • Hidrate-se por dentro e por fora: beber água é essencial para manter sua pele, bem como seu corpo, todo hidratado. Além disso, o uso de cremes ricos em óleos corporais ajudam a manter o corpo bem hidratado e a obter uma pele mais saudável.
  • Tome cuidado com os doces:o açúcar em excesso pode “matar” as células de colágeno, acarretando futuramente no aparecimento de estrias.
  • Coma mais frutas: Essa é a dica “clichê”, mas que sempre funciona para qualquer pessoa que queira ter qualidade de vida. Mude seu paladar aos poucos, inserindo algumas frutas no fim de suas refeições.

O importante é que com as dicas de prevenção e tratamentos, você saiba cuidar melhor de seu corpo. O ideal é buscar ajuda de especialistas e pesquisar sobre o local, profissional e o tratamento sugerido antes de tomar uma decisão final.

LEIA TAMBÉM