Dicas para você trocar a cor dos cabelos sem perder a naturalidade!

Quer trocar a cor dos cabelos mas tem medo de agredir os fios? Confira nossas dicas para ficar linda sem arruinar as madeixas

None
Foto: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/12/2016 às 19:35
Atualizado às 11:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando a vontade de mudar de visual bate à porta, nada melhor do que trocar a cor dos cabelos. Além de ser um artifício bastante eficiente para alavancar a autoestima de qualquer mulher, uma coloração bem escolhida é capaz de proporcionar desde uma aparência mais jovial até realçar a sensualidade de quem a usa. Só que, para não manchar o sonho do look perfeito com uma tintura mal aplicada ou assisti-lo desbotar junto com aquele tonalizante de baixa qualidade, é necessário alguns cuidados. Para ajudá-la a não se perder nas armadilhas do mundo das tinturas, consultamos o hairstylist Rogério de Lima, da Clínica Più Bella, do Rio de Janeiro, sobre o assunto. Confira!

cabeleireira tingindo o cabelo de uma mulher

Foto: iStock.com/Getty Images

Como mudar a cor dos cabelos?

Assim como alguns cortes de cabelo são ideais para certos tipos físicos, a cor da pele e a faixa etária dão as pistas de qual tonalidade cairá bem para o seu biotipo e qual deve ser evitada a todo custo. Enquanto as morenas ficam ótimas nos tons mel, castanho-claro e loiro-escuro, as mulheres claras podem abusar do loiro-claro ou dourado e do marrom-mel. As cores mais indicadas para as negras são vermelho, acobreado, marrom e mel. Já as orientais podem adotar sem medo madeixas chocolate, canela e café. No caso desses dois últimos tipos físicos, a polêmica gira em torno do loiro. Apesar da grande maioria dos hairstylists torcerem o nariz, beldades como a atriz Taís Araújo e a apresentadora Sabrina Sato já utilizaram fios claros com bastante elegância. Assim, peça a opinião de um profissional da sua confiança em caso de dúvida e fique atenta às contraindicações da técnica. A descoloração, por exemplo, não pode ser feita em cabelos alisados sob o risco dos fios se romperem e caírem. O loiro ainda é regra para as mulheres mais velhas em busca de um visual mais jovial. “É indicado recorrer ao reflexo, balaiagem ou a tons mais claros”, complementa Rogério de Lima.

Descoloração sem mistério

Após escolher a cor dos cabelos, o próximo passo é descobrir qual técnica é mais indicada para você chegar a ela sem que o resultado agrida os fios ou pareça artificial. Se a sua intenção é ficar mais loira que a Madonna, nunca é demais lembrar que uma tintura clareia, no máximo, três tons abaixo da cor natural dos seus fios. Para ficar blond, será necessário encarar um processo de descolaração. “A técnica é indicada quando se quer mudar o tom escuro e ir para o loiro-claro. Nesse caso, é obrigatória a descoloração, porque os tons escuros possuem muito pigmento”, explica o hairstylist. Os melhores produtos para descolorir os fios são os que não têm amônia e os que descolorem e ao mesmo tempo hidratam. Já a aplicação pode ser feita de duas formas: chamadas de global e cor. “Na global, a tintura será aplicada do comprimento até a ponta, enquanto na cor, a coloração é feita onde tem o tom natural do cabelo”, detalha Lima. Outra dica é evitar fazer o procedimento em casa ou pedir para uma amiga aplicar o produto. Não são raros os casos de cabelos que caíram devido ao excesso de química ou que, de tão claros, não pegaram mais cor. Dessa forma, vale a pena pagar um pouco a mais para um cabeleireiro pela segurança, uma vez que ele pode socorrê-la caso alguma coisa dê errada. Após finalizar o processo de descoloração, é necessário tomar algumas precauções para evitar que o visual vá por água abaixo. Evite shampoos de limpeza profunda e nunca se submeta a um processo químico de relaxamento. Hidratações semanais e protetor solar nos fios em dias ensolarados também são bem-vindos.

Voltando ao natural

Você ficou loira, pintou de ruivo e agora quer voltar à cor dos cabelos naturais? O problema é que, dependendo da coloração aplicada, é indicado esperar o cabelo crescer naturalmente. Em outras palavras, será necessário passar a tesoura nos fios descoloridos ou encarar a raiz crescendo ao natural. Uma outra saída é colorir os fios novamente, mas numa cor próxima da original. Nesse caso, é importante ter em mente que certas tonalidades se sobrepõem às outras, sendo difíceis de “mascarar”. “É o caso das nuances escuras, como o preto e o castanho-escuro”, adverte Rogério de Lima.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Rogério de Lima, hairstylist da Clínica Più Bella, do Rio de Janeiro

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.