Barriga chapada com 7 mudanças no seu dia a dia

Zero barriga: confira 7 mudanças de hábitos no dia a dia que podem fazer toda a diferença na hora de emagrecer e eliminar o inchaço abdominal!

mulher medindo barriga
Por Juliana Borges - 12/07/2016

Foto: Shutterstock Images

Não sabe mais o que fazer para secar a barriga? Às vezes, cometemos alguns deslizes presentes nos menores detalhes da nossa rotina alimentar que fazem toda a diferença na hora de eliminar alguns quilos na balança, mas passam despercebidos no dia a dia. Por isso, listamos aqui alguns passos para evitar o abdome inchado, dar um up na dieta e conquistar uma barriga linda!

mulher medindo barriga

Foto: Shutterstock Images

1. De olho na sensibilidade!

É importante ficar atenta aos alimentos que causam maior sensibilidade ou possíveis intolerâncias, como o leite de vaca e o glúten. “Muitas pessoas têm intolerância à lactose ou às proteínas do leite, assim como aos alimentos com maior potencial alergênico, como amendoim, soja, trigo e farinhas com glúten (aveia, trigo, cevada, malte e centeio), ovo, carne de porco, nozes, frutos do mar, entre outros”, comenta a nutricionista Robena Molinari. O glúten, por exemplo, pode inchar o abdome, já que durante o processo de digestão, o alimento produz colesterol, podendo aumentar sua concentração no sangue e causar complicações.

2. Evite alimentos inflamatórios para secar a barriga!

Eles devem ser diminuídos ou eliminados do cardápio por quem procura uma barriga chapada. “São as chamadas gorduras ruins: trans, saturada, hidrogenada; alimentos com alto índice glicêmico ou que aumentam a insulina e são pobres em nutrientes: açúcar, doces, farinhas brancas e refinadas, pães, bolos, massas, frituras, carne vermelha, queijos amarelos, entre outros”, lista a nutricionista.

SAIBA MAIS

5 melhores alimentos anti-inchaço!
Receitas: 10 sucos que eliminam o inchaço abdominal
Sal de ervas: aprenda a fazer a opção mais saudável!

3. Mantenha o intestino funcionando!

Segundo Robena, intestino preso é sinônimo de toxinas não eliminadas, que acabam sendo reabsorvidas e indo para a corrente sanguínea, causando uma série de alterações no nosso organismo e, inclusive, o acúmulo de gordura abdominal.
Para deixá-lo sempre em equilíbrio, é necessário ingerir fibras, água, e também praticar exercícios físicos regularmente. “O intestino é um órgão com várias funções: além da digestiva, também tem função endócrina, imunológica, detoxificante e neurológica. Quando saudável, ele é capaz de produzir neurotransmissores importantes para manter o equilíbrio do humor e da ingestão alimentar”, explica a nutricionista.

4. Não deixe de beber água!

Além de manter o corpo hidratado, o líquido faz com que o organismo funcione melhor. “Essa é outra tarefa para eliminar o inchaço e a retenção hídrica, pois quando estamos em processo de desidratação nosso organismo tenta absorver mais sódio e, com isso, mais líquido fica retido fora das células, provocando o inchaço”, alerta Robena. A não ingestão de água faz com que o nosso metabolismo fique lento e, consequentemente, gaste menos energia. “O ideal é beber de 2 a 3 litros de água por dia. Mas ela deve ser evitada junto com as refeições, para não interferir no processo digestivo”, sugere a nutricionista.

5. Fracione suas refeições!

Ao invés de fazer três refeições com muita comida, opte por seis pequenas ao longo do dia! “O sistema digestivo não consegue processar um grande volume de alimento ingerido de uma só vez. O ideal é fazer refeições pouco volumosas e de baixo teor calórico”, afirma Robena. E não se esqueça: mastigar também é fundamental para esse processo! “A pessoa que come rápido pode acabar prejudicando a digestão e, com isso, o cérebro não registra o sinal de saciedade com tanta rapidez, o que leva a comer mais”, pontua a profissional.

prato de comida

Foto: Shutterstock Images

6. Não exagere no sal!

Na hora de temperar a comida, a dica é optar pelos temperos naturais, como ervas que contenham fotoquímicos e antioxidantes, ao invés dos industrializados, que contêm o sal embutido em sua composição. “O sal aumenta a retenção de líquidos e o ganho de gordura e, por isso, deve ser substituído sempre que possível”, alega Robena.

7. Pratique exercícios físicos!

Com seus inúmeros benefícios para o emagrecimento e a saúde, os exercícios não poderiam ficar de fora. “Além de queimar calorias e diminuir a barriga, também refletem em um bom funcionamento do intestino e do organismo como um todo. A prática regular de exercícios físicos ainda ajuda a liberar endorfinas, neurotransmissores que mantêm o bom humor e diminuem a compulsão alimentar”, detalha a nutricionista. Os exercícios devem ser praticados com frequência e intensidade moderada, associando-se aos aeróbicos.

Consultoria: Robena Molinari Neves, nutricionista funcional, clínica e esportiva, do Rio de Janeiro (RJ)