Combate ao racismo: 6 mulheres negras inspiradoras que você precisa conhecer

Inspire-se e passe seus ideais adiante para contribuir por uma sociedade menos opressora

ativistas negras
Ilustração: Reprodução

Para ser antirracismo não basta apenas falar, é preciso agir e enfrentar por meio do conhecimento aqueles que ainda colocam em cheque sua existência. Se você é branca, o primeiro passo para aderir ao movimento da maneira correta é começar a acompanhar ativistas negras e escutar aquilo que elas têm para falar sobre os problemas sociais que enfrentam.

Afinal, apenas elas podem dizer o que realmente precisa ser mudado para que, verdadeiramente, seja possível chamar a sociedade de igualitária e democrática. Se você for negra, sinta-se livre para reivindicar mudanças nesse texto. Nosso intuito aqui é apenas criar mais um canal em que suas vozes sejam escutadas da melhor maneira possível.

Ativistas negras para se inspirar na luta contra o racismo estrutural

Andreza Delgado

Como sua própria descrição em seu canal do Youtube afirma, Andreza é feminista, nerd, produtora cultural e principal “fazedora” de memes. De acordo com ela, “a ideia é produzir um conteúdo educativo e provocante”. Tanto em seus vídeos na plataforma, como em seu Instagram, a ativista negra é conhecida por explicar como o universo geek, pop e nerd se insere na quebrada e por debater sobre as construções dessas narrativas nas séries, por exemplo, do ponto de vista negro.  Andreza também escreve para a revista Capitolina e é uma das criadoras do PerifaCon – a primeira Comic Con das favelas.

Nátaly Neri

Nátaly Neri é uma ativista negra, de 25 anos, que vem ganhando cada vez mais destaque dentro e fora das redes sociais por falar com seus seguidores sobre importantes pautas que circundam o racismo e, até mesmo, outras causas sociais em que está envolvida. A influenciadora cursa Ciências Sociais na Unifesp, em São Paulo, e é criadora do canal ‘Afros e Afins’, no YouTube, para falar sobre assuntos que vão desde beleza negra e empoderamento feminino até raça, gênero, sociedade, sustentabilidade, slow living e amores.

Neggata

Neggata é um alter ego que, segundo ela, surgiu como pura forma de empoderamento. Criadora de conteúdo desde 2014, suas redes sociais são voltadas a trazer conscientização e cultura sobre o movimento negro para seus seguidores que se permitem pensar “fora da caixinha”. Formada na UNB no curso de Ciências Sociais em 2019, Neggata se destacou nas mídias brasileiras e internacionais com o projeto fotográfico intitulado #AhBrancoDaUmTempo. A série denuncia o racismo dentro de uma das maiores universidades do Brasil (UNB).

Gabi Oliveira

Aos 27 anos, Gabi é formada em Comunicação Social e possui mais 500 mil seguidores só em seu canal do YouTube. Além de influenciadora digital, ela também é colaboradora em uma das campanhas da ONU Brasil e atual embaixadora Seda Brasil. Além disso, Gabi já conseguiu levar suas experiências e trazer suas reflexões para outros países ao palestrar em eventos importantes como o ‘Brazil Conference’ na Universidade de Harvard, o ‘Rio2C’ e, também, por possuir seu próprio TEDx intitulado de “Um novo olhar sobre a pessoa negra; novas narrativas importam”.

Amanda Mendes

Criadora do canal ‘Tô de Crespa’, Amanda finalizou sua transição capilar no final de 2016 e inspirou diversas de suas seguidoras a fazer o mesmo e assumirem cada um de seus traços. Em seus vídeos, a ativista negra fala sobre autoestima, aceitação, empoderamento e como é possível, por meio desse amor próprio, fortalecer as identidades.

Morena Mariah

Morena utiliza da plataforma para abordar temas relacionados ao “bem viver”, possibilitando uma jornada de cura e autoconhecimento. Em seus vídeos, ela compartilha leituras sobre o movimento negro, processos de gravidez, culinária e apresenta novas formas de ver o mundo e como esse “combo” é capaz de mudar nossas relações com o que está ao nosso redor e com nós mesmas.

Conhece mais ativistas negras que ajudam a tornar a sociedade um lugar melhor? Comenta com a gente. Vamos encher essa lista de grandes nomes!

Leia também: