Aprendendo a perdoar: o caminho certo para uma vida melhor

Apesar de todos os benefícios, perdoar pode ser uma tarefa complicada. Confira algumas dicas para desenvolver a iniciativa de perdão em você.

imagem de uma mulher sorrindo representando a leveza de perdoar
O ato de perdoar pode parecer simples, mas pode trazer muitos benefícios. Foto: Shutterstock Images

A palavra perdão é, geralmente, associada ao cristianismo, sendo esse grande propagador da cultura do perdoar. Nesse contexto, diversos salmos e passagens bíblicas abordam o assunto sob o viés religioso.

A psicologia, porém, vem se interessando cada vez mais pelo assunto e, desde então, diversos estudos foram desenvolvidos pensando o perdão. Sabe-se que o perdoar faz bem, não só para quem é perdoado, mas principalmente para quem perdoa. Os benefícios são diversos, sendo importante para a saúde e o bem-estar. Mas o que lhe impede de perdoar alguém? Por onde começar? E por que é importante desenvolver esse costume? Confira a seguir explicações sobre como processar o perdão da melhor maneira possível.

Por que perdoar?

A falta de perdão impacta amplamente na qualidade de vida. “O estresse gerado por ressentimentos e mágoas abalam o sistema imunológico, acarretando em doenças e males físicos. Pessoas que sabem perdoar são mais saudáveis e felizes”, conta Semadar. Essas pessoas correm menos riscos de ataques cardíacos, desenvolvem uma maior autoestima e melhores relações interpessoais.

Não é fácil, mas é preciso

O perdão não é algo simples de ser desenvolvido. Demanda tempo, paciência e autocontrole, mas os ganhos com esse processo são impagáveis. “Perdoar é algo que não costuma ser fácil, principalmente quando o ressentimento for causado por algo grave, mas que deve ser encarado como um processo, algo que precisa ser desenvolvido após ser compreendido seus benefícios e a importância de ser buscado”, aponta Semadar Marques.

imagem de um casal comemorando representando o ato de perdoar

Foto: Vinicius Tupinamba / Shutterstock.com

Perdão exterior

O problemático perdão exterior consiste na superficialidade do perdão e, muitas vezes, funciona como uma forma de magoar o agressor, para que se possa parecer superior. Apesar de ajudar a amenizar de alguma forma, não resolve as questões emocionais internas e o estresse causado pelo ressentimento. Ou seja, os principais objetivos do processo do perdão, que são a saúde mental e o bem-estar, não foram atingidos.

Perdão emocional

O perdão emocional é aquele que promove benefícios verdadeiros. Esse, exige muito autoconhecimento e o que é chamado pelo método REACH de “alteração a nível interpessoal e de comportamento”.

O melhor caminho para desenvolver o perdão é investir na sua autoestima, saúde e no seu autoconhecimento. Comece perdoando a si mesmo pelos erros que comete. Coloque-se no lugar daquele que errou com você e desenvolva a empatia profunda para que o ato de perdoar não seja em vão.

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Semadar Marques, educadora e palestrante especialista em empatia, propósito de vida e inteligência emocional.

LEIA TAMBÉM