Para aprender melhor: sono mais regulado

Ter uma boa noite de sono é fundamental para que seu dia seja mais produtivo. Mas sabia que uma noite bem dormida faz você aprender melhor?

mulher - dormir.jpg
FOTO: iStock.com/Getty Images

Ter boas noites de sono é fundamental para uma vida com mais qualidade. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a hora de dormir não é um momento de repouso total para o cérebro. Muito pelo contrário: ele continua ativo durante esse período.

Mais do que apagar informações desnecessárias absorvidas durante o dia, o descanso reforça aquilo que foi aprendido enquanto se estava acordado e o que é importante a ser memorizado. Para que o armazenamento desse conteúdo seja eficaz, recomenda-se uma boa noite de sono. Um ambiente tranquilo e confortável, a adoção de uma rotina e a atenção com a alimentação são fundamentais para conquistar esse objetivo.

 

mulher - sono.jpg

FOTO: iStock.com/Getty Images

Fases do sono

Os efeitos podem ainda ser sentidos durante o dia. A qualidade do sono afeta as funções intelectuais, regulando a atividade cerebral durante o período em que o indivíduo está ativo. As fases 1 e 2 do sono ocorrem logo nas primeiras horas, período em que o sono é mais leve. Nesse momento, o cérebro guarda as informações relacionadas às atividades motoras, como tocar um instrumento ou a prática de um esporte. As fases 3 e 4 são responsáveis pela memória espacial, como o senso de direção, por exemplo.

REM é a última fase, na qual ocorrem os sonhos, e é responsável pela memória intelectual. Essa fase é serve para que o órgão armazene informações relacionadas às atividades intelectuais, como o que é aprendido em sala de aula.

Desse modo, uma noite bem dormida permite que você passe por todas as fases do sono. Isso garante que o cérebro consiga cumprir todas as suas funções, consolidando os conhecimentos aprendidos durante o dia.

 

Leia também!

Para aprender melhor: atividade física

Para aprender melhor: alimentação balanceada

Seis dicas para conseguir dormir mais cedo

Aprenda a superar a ansiedade

Entenda como funciona a concentração

Texto: Andrey Seisdedos/Colaborador – Edição: Giovane Rocha/Colaborador