Anvisa aponta irregularidades em Omeprazol genérico e em dois produtos de beleza

O lote de Omeprazol, a tintura e o óleo de Argan deverão ser retirados do mercado

diversas cápsulas de remédio iguais às suspensas no lote de omeprazol
Foto: Shutterstock Images

A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu nesta segunda-feira (10/07) um lote de Omeprazol 40 mg genérico, vendido em pó para soluções injetáveis para o tratamento de úlceras gástricas. O conjunto faz parte do lote 486773A  e foi fabricado pela Eurofarma Laboratórios S.A com validade até 12/2017.

A própria empresa divulgou um comunicado com a informação de que o lote de Omeprazol apresentava desvios de qualidade relacionados à rotulagem do produto. A resolução da Anvisa prevê que a distribuição, comercialização e o uso do medicamento deve ser suspendida e que a fabricante é responsável pelo recolhimento do item.

Caso possua esse medicamento em casa, a Agência adverte que a embalagem deve ser conferida e, caso seja constatado que faz parte do lote suspenso, você deve entrar em contato com o  SAC da Eurofarma para ser orientado sobre a troca.

Na área cosmética, uma tintura para cabelo e um óleo de Argan também foram interditados. Segundo a empresa Coferly Cosmetica Ltda, detentora do registro e fabricação do produto, quatro lotes do cosmético Color Premium Colorante Smart Extreme foram identificados no mercado com características divergentes das que constam na embalagem original e foram apreendidos pela Anvisa.

Dessa forma, a Anvisa determinou o embargo das unidades dos seguintes lotes:

  • M2909 – Validade: 03/19 – Tonalidade 5.0 Castanho claro
  • G2235 – Validade: 12/19 – Tonalidade CSV22 Corretor violeta
  • M1460 – Validade: 11/19 – Tonalidade S55.62 Castanho claro vermelho irisado smart especial
  • K1612 – Validade: 12/19 – Tonalidade CS.A11

A proibição do produto Argan Oil da marca Jhor’s também aconteceu nesta segunda devido à falta de registro sanitário para sua comercialização. A fabricação, distribuição, divulgação, comercialização e o uso do produto foram, portanto, censurados pela Anvisa, que também determinou o recolhimento do estoque ainda existente no mercado.

LEIA MAIS: