Alimentos orgânicos: qualidade de vida direto do seu prato!

Apostar no consumo de alimentos orgânicos pode ser o que você precisava para potencializar sua saúde e até mesmo o emagrecimento!

Alimentos, frutas, legumes, verduras, tigelas, morango, alface, banana, alimentos orgânicos
Foto: Shutterstock.com

É importante optar cada vez mais por alimentos orgânicos, produzidos com métodos que não utilizam agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos. Dessa forma, eles diminuem a possibilidade de qualquer impacto à saúde de quem os consome e também à natureza.

Por que orgânicos?

Segundo o Guia Alimentar para a População Brasileira, “são chamados de orgânicos alimentos de origem vegetal ou animal oriundos de sistemas que promovem o uso sustentável dos recursos naturais”. Dessa forma, incluir esses ingredientes no cardápio diário significa também consumir alimentos mais saborosos, que não sofreram perdas nutricionais através da adição de produtos químicos. “Existem vários aspectos de qualidade no alimento orgânico. O valor nutricional é apenas um deles, mas os baixos índices de toxidade, melhor sabor, textura e cor, seriam os principais diferenciais”, conta a professora do curso de nutrição, Flávia da Silva Santos.

O seu corpo pede…

mais saúde, vida e naturalidade! E os alimentos orgânicos têm a capacidade de te proporcionar isso. Nesses vegetais são encontrados mais minerais, antioxidantes e vitaminas que são produzidos naturalmente pela planta para combater qualquer substância nociva presente na natureza que prejudicaria seu crescimento. Dessa forma, quem aproveita e consome todas essas substâncias produzidas naturalmente é você!

Cesta, legumes, verduras, frutas, alface, tomate, pepino, pimentão, alimentos orgânicos

Foto: Shutterstock.com

Para emagrecer

“Normalmente os alimentos processados são adicionados de ingredientes que favorecem o aumento de peso como gorduras saturadas e trans, sódio e açúcares”, conta a profissional. Por isso, apostar em alimentos naturais é controlar a adição de produtos como esse, da forma mais saudável.

Outras vantagens dos alimentos orgânicos!

Manutenção do bem-estar animal: carnes e ovos também existem em sua versão orgânica! Nessa produção, os animais são alimentados somente com produtos orgânicos e mantidos em locais mais espaçosos e menos estressantes, o que reduz o uso de hormônios sintéticos.
Redução da poluição ambiental: sem o uso de agrotóxicos e fertilizantes, a produção orgânica não polui o solo e impede que chuvas e ventos levem produtos químicos para locais vizinhos.
Incentivo de produtores regionais: optar por orgânicos é também apoiar pequenos produtores rurais da sua região. Isso significa estar mais próximo de um sistema alimentar social e ambientalmente sustentável

Gostoso, sim. Prático, também!

Adquirir, higienizar e preparar. São esses simples passos que vão pedir um pouco da sua organização para tornar o consumo dos orgânicos prático para o dia a dia. Que tal reservar algumas horas do seu fim de semana para preparar marmitas frescas para toda a semana? A praticidade e rapidez estão ao seu alcance!

Verduras, legumes, frutas, bebidas, alimentos organicos

Foto: Shutterstock.com

Detox presente

“O estilo de vida saudável pede o consumo de alimentos in natura, que não apresentem substâncias tóxicas ao organismo”, explica Flávia. Somos expostos a toxinas diariamente, não somente nos alimentos consumidos, mas também no ar que respiramos, por exemplo. Para ajudar o corpo na eliminação de toxinas, é preciso ingerir alimentos que estimulem atividades digestivas, e os alimentos detox são ideais para evitar a entrada de substâncias nocivas no organismo.

Slowfood

Em oposição aos “fast foods”, o movimento “comida lenta” tem crescido bastante e possui o objetivo de estimular a apreciação da comida, priorizando a qualidade nutricional, a valorização dos alimentos e de seus produtores. Segundo Flávia, “conservar o prazer em se comer bem mostra que a alimentação saudável pode ter qualidade nutricional e ser saborosa”

Consultoria: Flávia da Silva Santos, professora do curso de Nutrição da Anhanguera de Niterói (RJ). Fontes: Núcleo de Estudos e Pesquisa em Alimentação da Unicamp, disponível em: www. unicamp.br; Guia Alimentar para População Brasileira, disponível em: www.bvsms.saude.gov.br 

LEIA TAMBÉM