Afeto: mais do que carência, é sinônimo de terapia!

Afeto: mais do que carência, é sinônimo de terapia!

O afeto tem o poder de trazer alívios: diminuí o cansaço, por exemplo. Muitos desconhecem, mas o toque é mais do que um contato, é uma terapia. Confira!

casal
Foto iStock.com/Getty Images

O ser humano está cada vez mais isolado. A carência de afeto entre as pessoas aumenta dia a dia. Segundo a terapeuta Claudya Toledo, a falta de tempo é o principal motivo desse distanciamento. “Isso traz o cansaço e as pessoas não reservam um tempo para si”, afirma. Além de dedicar mais horas a quem ama, o compartilhamento de emoções também é fundamental em qualquer relação. Muitos desconhecem que o toque é mais do que um contato, é uma terapia.

 

casal

Foto iStock.com/Getty Images

 

Prós e contras da solidão

A solidão faz mal à saúde, podendo causar hipertensão. As mulheres sozinhas e maiores de 60 anos e os homens com mais de 50 têm o dobro de chances de ter problemas cardíacos.

Porém, a psicóloga e psicoterapeuta Olga Inês Tessari explica que a solidão também faz bem, desde que a pessoa saiba conviver com ela. “É bom estar sozinho consigo mesmo e refletir acerca da sua vida, do seu dia a dia, da sua forma de agir e de pensar. Uma pessoa só sente-se completa quando está feliz em todos os âmbitos da sua vida pessoal, profissional, social e afetiva”, afirma Olga.

Leia também:

O poder do abraço

Na maioria dos casos, reserva-se o abraço para grandes alegrias ou tragédias. De acordo com Claudya Toledo, o contato físico é de extrema importância. Entre outros benefícios, abraçar revitaliza o corpo cansado e rejuvenesce. “O abraço é uma afirmação muito humana de ser querido e ter valor”, salienta. Porém, para que este ato de amor aconteça, é necessário uma atitude aberta e um sincero desejo de receber o outro. Em casa, esta prática diária pode amenizar brigas e reforçar os relacionamentos.

Consultoria Claudya Toledo, terapeuta; Olga Inês Tessari,  psicóloga e psicoterapeuta