5 dicas para pais e professores ajudarem na saúde mental dos estudantes

Em época de preparação para os vestibulares de inverno, ENEM e férias escolares, poucos lembram do equilíbrio entre mente, corpo e estudos. Por isso, separamos 5 dicas para pais e professores auxiliarem os estudantes nessa fase!

5 dicas para pais e professores
Conciliar lazer, estudos e trabalho não é uma tarefa fácil. Mas lembre-se: a saúde mental vem antes de tudo! FOTO: Shutterstock.com

Uma pergunta muito frequente é: como equilibrar a vida pessoal, estudantil e profissional dos jovens? Claro que não é possível deixar as responsabilidades de lado, mas o lazer e a construção de bons relacionamentos são fundamentais para a felicidade do estudante, fazendo com que ele consiga optar por uma profissão que realmente faça sentido. Logo, é preciso que as pessoas próximas auxiliem os próprios alunos, podendo adotar algumas ações para tornar mais benéfico o convívio entre responsabilidades e qualidade de vida. Para isso, o psicólogo e gestor educacional Augusto Jimenez aponta 5 dicas para pais e professores ajudarem na saúde mental das crianças e dos jovens!

Em números

5 dicas para pais e professores

O Brasil está em segundo lugar no ranking de pessoas com ansiedade. FOTO: Shutterstock.com

Segundo o Programa de Avaliação Internacional de Estudantes da Organização para Cooperação Desenvolvimento Econômico (OCDE), 56% dos alunos brasileiros estão entre os que ficam mais estressados pela alta carga horária de estudos. Além disso, o país ocupa o segundo lugar no ranking de 180 países pesquisados, no quesito ansiedade. E esse cenário não para na Universidade!

De acordo com a pesquisa divulgada pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), 30% dos alunos das Universidades federais do Brasil procuram atendimento psicológico e 10% fazem uso de medicamento psiquiátrico. Além disso, as tentativas de suicídio aumentaram, segundo a Lei de Acesso à informação.

 

Texto: Rebecca Crepaldi/Colaboradora | Consultoria: Augusto Jimenez, psicólogo e gestor educacional da rede Minds Idiomas

 

LEIA TAMBÉM: