Confira 3 dicas para combater a compulsão alimentar

A compulsão alimentar pode desencadear problemas como obesidade e diabetes. Confira 3 dicas que ajudam a combater o problema!

Mulher, morena, roupas pretas, chutando comidas calóricas
Foto Shutterstock.com

Quem tem compulsão alimentar não tem hora para comer: depois de almoçar, por exemplo, é capaz de consumir outros alimentos, mesmo não sentindo fome. E, com isso, diversos problemas podem surgir, como obesidade e depressão. Então, além do tratamento indicado por especialistas, é importante que o paciente conheça algumas técnicas que podem auxiliar no combate a esse distúrbio. Saiba quais são!

Mulher, morena, roupas pretas, chutando comidas calóricas

Foto Shutterstock.com

Na hora certa

Estipular horários para fazer as refeições é uma forma simples de controlar a compulsão, uma vez que, ao comer na hora pré-definida, a pessoa é movida por uma regra, não por fome. “Ao fazer as refeições no horário certo, ela também consegue comer somente o que foi estipulado. Enquanto, ao consumir alimentos por fome ou impulso, muitas vezes a pessoa opta por coisas mais calóricas e em quantidade maior que o necessário”, explica Liliane Oppermann, nutróloga.

Pegue leve nas dietas

Evitar regimes muito restritivos ou que excluam grupos de nutrientes, como os carboidratos, pode ser importante no combate à compulsão, pois uma dieta que inclua todos os nutrientes deixa o corpo em equilíbrio. “Um organismo equilibrado é o que a pessoa precisa para evitar estados compulsivos. Sem contar que quando privamos nosso corpo de um nutriente, ele utiliza de mecanismos compensatórios, que desencadeiam compulsão”, alerta a profissional.

Saiba mais:

Alimentos que promovem a saciedade e ajudam a emagrecer

Chocolate é indicado em quadros ansiosos. Veja outros alimentos recomendados

3 alimentos que ajudam a ganhar (e manter) massa magra

Não fique em jejum

Sabia que quando você fica muito tempo sem comer pode estar facilitando o surgimento da compulsão alimentar? É que, de acordo com Liliane, o corpo entende o jejum como algo prejudicial, uma vez que faz o organismo perder suas reservas energéticas. Dessa forma, ele aciona a bioquímica do corpo para recuperar rapidamente o que foi perdido. “O organismo entende esta rapidez como compulsão”, acrescenta a nutróloga.

Texto Larissa Tomazini | Consultoria Liliane Oppermann, nutróloga