Ansiedade: 10 sinais que indicam se você tem!

A ansiedade pode apresentar alguns sintomas de fácil percepção. Conheça os principais e vá em busca de um diagnóstico mais preciso e eficiente

sinais_ansiedade
ShutterStock

Quando o assunto é ansiedade, alguns sintomas podem ser identificados com facilidade pelo portador. Apesar de ajudar na busca pelo diagnóstico, é preciso procurar um especialista e, em hipótese alguma, praticar a automedicação.

1. Desespero frequente

Geralmente, a pessoa que sofre com ansiedade excessiva tende a se desesperar até mesmo em situações mais simples do cotidiano. “A forma mais imediata é observar o comportamento da pessoa: via de regra, o ansioso é impaciente, apressado, fala mais rápido que o normal e é compulsivo. Com frequência atropela os acontecimentos, quer fazer várias coisas ao mesmo tempo ou mudar rapidamente para uma atividade sem ter acabado plenamente a anterior”, explica o professor do curso de formação de instrutores de yoga integrado do grupo Zênite, Arlindo Fiorentin.

2. Medo de morrer

A ideia de que uma doença pode estar lhe acometendo ou um desastre pode acontecer a qualquer momento também faz parte dos pensamentos de quadros ansiosos. “Medo, insegurança, expectativas e preocupações em excesso acontecem em casos mais agudos”, completa o terapeuta Adriano Saran.

SAIBA MAIS

Os efeitos da ansiedade no corpo
10 maneiras de controlar a ansiedade
Dieta que controla ansiedade

3. Organização excessiva

Muita gente tem mania de limpeza e de organização, e isso é normal. No entanto, quando pequenos detalhes passam a atrapalhar a rotina da pessoa e irritá-la com frequência, pode ser que a ansiedade esteja passando dos limites.

4. Compulsão alimentar

O estresse e a ansiedade, na maioria dos casos, estão relacionados com a compulsividade à mesa. “A ansiedade pode ser desencadeada por outros fatores. Assim, alimentos de alto índice glicêmico, como os doces, por meio de um efeito rebote da glicose no sangue, podem levar à hipoglicemia, e esta, à ansiedade. Deficiências de minerais, como magnésio (que é calmante), cromo e cálcio, também podem favorecer os estados de ansiedade”, conta Fiorentin.

5. Falta de concentração

Se perder na leitura ou no que uma pessoa lhe diz com frequência pode ser um sinal de que a mente não anda bem. “Uma característica é estar fora do ‘aqui e agora’, pois os pensamentos se projetam muito para o depois, o futuro”, frisa o professor.

“A ansiedade é considerada normal até o momento em que o paciente percebe que não é algo inerente à sua natureza. Nesse caso, realiza-se terapias que eliminem a raiz, o que é absolutamente possível”, Adriano Saran, terapeuta

6. Pavor de falar em público

Esse medo é comum para várias pessoas, porém em indivíduos ansiosos tende a se agravar ainda mais, gerando até mesmo sintomas físicos, como tremor, sudorese, gagueira, falta de ar e até taquicardia.

7. Insônia constante

A ansiedade aparece com sintomas de desânimo, preocupações excessivas, muitos medos e é fisicamente desgastante. Ela drena a sua energia mental, impede de ter uma boa noite de sono e de relaxar, colocando o seu corpo em estado de alerta.

sinais_ansiedade

FOTO: ShutterStock

8. Pensamentos compulsivos e persistentes

Não conseguir parar de pensar em algo que já lhe esgotou psicologicamente também é um sintoma de descontrole emocional, gerando um excesso de ansiedade.

9. Vazio emocional

Se está difícil encontrar um sentido nas atividades realizadas, a mente pode estar precisando de um descanso. “A ansiedade se manifesta por conta de insatisfações que a pessoa tem por não ter o emprego que gostaria, de não ter o namorado que deseja, de não ter o dinheiro para comprar tudo que queria, de não ser tão bonita como os modelos de televisão e outras situações que lhe são bombardeadas diariamente, tirando-lhe da sua realidade”, detalha Sheila.

10. Sensação de que algo ruim vai acontecer

A mente atormentada por supostos acontecimentos trágicos é um grave sinal de ansiedade excessiva. “Em um estado mais agudo desse transtorno, a pessoa ansiosa se atormenta com a suposição de que algo de ruim vai acontecer, e está constantemente ‘em guarda’ para preveni-lo”, pontua Fiorentin.

Texto Paula Santana | Consultoria Adriano Saran, terapeuta; Arlindo Fiorentin, professor do curso de formação de instrutores de yoga integrado do grupo Zênite; Luciana Kotaka, psicóloga; Sheila Gutierrez, terapeuta e homeopata.