No lançamento do livro o cabeleireiro Marco Antonio de Biaggi, batemos um papo com Adriane Galisteu, uma das celebridades clicadas no livro

Avalie

Você sempre gostou de ser loira?
Eu vou mudando, às vezes mais loira, outras vezes, um pouco menos loira. Na verdade, eu cheguei nas mãos do Marco Antônio com o cabelo bem estragado, eu tinha o cabelo quase branco, eu passava blonder, ele era no ombro, e todo quebrado. E o Marco foi cuidando do meu cabelo, então, quem decide a cor do meu cabelo hoje é o Marco e ai de mim se eu quiser mudar. É tudo ele que faz. E eu fico feliz porque ele pode experimentar e usar todas as tendências de loiro no meu cabelo.

Que tom é esse atual no cabelo?
Segundo o Marco Antonio é um pouco de caramelo, um pouco de manteiga, camomila… Aquelas coisas que a gente não entende, mas ele explica (risos).

Você cuida do cabelo em casa também?
Não tenho a menor paciência. É ele quem cuida mesmo, porque no dia a dia eu uso o cabelo presinho, pode perguntar pro Alê (se referindo ao noivo Alexandre Iodice que estava ao lado dela). É coquinho todo dia!

Você teria alguma dica caseira pra passar pra leitora?
Eu não faço nada caseiro… Eu acho que hoje você tem produtos de qualquer preço, produtos baratos, caros, caríssimos, que você pode utilizar no seu cabelo, no lugar de abacate, ovo…

Você não tem nenhuma dica, por exemplo, pra quem fica o dia todo de cabelo preso como você diz que fica?
Tem que usar um bom elástico, um elástico feito de tecido… Mas no geral, é preciso cuidar no salão. Vou lá uma vez por semana pra fazer hidratação.

Mais lidas