Entrevista com Selton Mello

Avalie

Entrevista com Selton Mello

  

Com o polêmico papel de um médico com poderes espirituais, o ator estará na próxima série da Globo, “A Cura”

 

Guia da TV: O que você acha que “A Cura” tem e que pode ser um atrativo para o público?

Selton: É diferente de Força-Tarefa e Na Forma da Lei, que são dois seriados que você pode assistir em episódios soltos, dá para acompanhar. Eram programas com a capacidade de se fechar em um episódio, apesar da história principal, e “A Cura” não.

Guia da TV: E as gravações em Diamantina?

Selton: Agora, na reta final das gravações, bate também aquele frio, aquela insegurança, porque não se sabe como o público vai reagir.

Guia da TV: Você vai interpretar um médico com poderes espirituais, capaz de curar as pessoas através de seus dons paranormais. Acredita que isso seja possível na vida real?

Selton: Shakespeare já dizia que existem mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa filosofia… Acredito nisso, acho que têm coisas que a gente não enxerga a olho nu.

Guia da TV: Esse trabalho chegou a mudar, de alguma forma, a sua visão sobre esses assuntos?

Selton: Não sei dizer. Talvez até tenha acontecido isso e eu ainda não saiba dizer. Tem uma coisa louca no nosso trabalho que é a questão do horário e da dedicação. A gente trabalha muito, de segunda a sábado. E em cenas dramáticas, que exigem muito. A gente fica tão envolvido que para e só foca naquilo. Não caiu a ficha ainda. E a gente também mexe com energias extremas nesse trabalho. Rola um cansaço. O público acha que a nossa vida é a maior moleza, mas é uma ralação.

Guia da TV: Você já chegou a recorrer a simpatias ou superstições?

Selton: A minha mãe, por exemplo, quando perdia alguma coisa, rezava para São Longuinho. Isso é bem brasileiro. Antes de começar a ir ao ar, pessoas já me paravam dizendo que viram que eu estava fazendo um negócio sobre cura e que o tio ou um outro parente foi curado por um cara no Amazonas. Isso comove as pessoas.

Guia da TV: O que o motivou a aceitar o convite para a série “A Cura”?

Selton: Trabalhei poucas vezes junto com o Ricardo Waddington e de maneiras bem curiosas. A minha primeira novela na Globo foi “Corpo a Corpo”, em 1984, quando eu tinha 12 anos de idade, e o Ricardo dirigia. Anos depois, nos encontramos em “Olho no Olho”. E agora, anos depois também, estamos em “A Cura”. Espero que nosso próximo trabalho não demore tanto tempo.

Guia da TV: “A Cura” aposta em uma caracterização mais natural, com pouca maquiagem. Fale um pouco sobre isso.

Selton: É que o Ricardo fez uma aposta em uma câmera que tem uma qualidade fenomenal e, por um lado, dificultou muito os trabalhos. O ritmo foi outro. Mas, em compensação, tem uma qualidade diferenciada. Por isso precisamos de alguns ajustes.

Guia da TV: O que você estava fazendo antes de gravar “A Cura”?

Selton: Meu último filme se chama “O Palhaço”, que eu fiz com o Paulo José. Eu estava editando e parei para fazer “A Cura”. Vou voltar para a montagem dele depois que acabarem as gravações. É um filme para o início do ano que vem. Eu atuei em “O Palhaço” também. E a convivência diária com o Paulo José é muito surpreendente. Ele não é só um ator extraordinário, mas uma pessoa extraordinária também. Ele tem o mal de Parkinson e luta contra a doença. Já fez muitas operações e você vê um homem com limitações, mas que não para. Ele não deixa a doença dominá-lo. Isso é bonito de se ver.

Guia da TV: Você se disse mais cético. Mas você tem alguma religião?

Selton: Sou ligado em Candomblé, que é um assunto que a minissérie não aborda.

Guia da TV: Tem alguém com quem você gostaria de trabalhar, mas que ainda não tenha rolado uma oportunidade?

Selton: Tem muita gente com quem eu ainda não trabalhei e gostaria. A Mariana Lima, por exemplo, é uma atriz com quem quero trabalhar no teatro. A própria Katiúscia entra nessa lista.

Guia da TV: Você já conhecia a Andreia Horta antes de gravar “A Cura” com ela?

Selton: Vi a série “Alice”, que ela protagonizou, na HBO.

Entrevista: Marvio Gonçalves/Colaborador
Foto: Alex Carvalho/Divulgação TV Globo

Mais lidas