Entrevista com Marcello Antony

Avalie

Entrevista com Marcello Antony  

O ator surpreende no papel de Gerson e fala da sua total dedicação em Passione

Guia da Tevê: Seu personagem em “Passione” sera um mocinho ou um vilão?

Marcello: Ele é do bem. Não é vilão, não. Eu devo gravar bastante, mas o Gianecchini e a Mariana Ximenes, por exemplo, devem gravar bem mais que eu. Tenho uma quantidade de cenas que não vai tomar todo o meu tempo. Tranquilo.

Guia da Tevê: Na novela, seu personagem vai participar de corridas de stock car. E você?

Marcello: Stock car eu já pilotei e fui homologado. Isso significa que eu tirei licença para pilotar e se eu quiser participar de uma competição esportiva eu já poderia. Fiz isso por conta da novela porque o meu personagem é um piloto de stock car. Eu fiz um curso para tirar essa licença. Não é porque eu sou ator da Globo que me deram uma licença. Tive que passar um tempo lá. Eu tive que fazer e, graças a Deus, eu baixei um tempo lá. Eu poderia até nem saber dirigir o carro pois a novela ia acontecer de qualquer maneira. Mas como eu gosto muito do automobilismo, aproveitei a deixa e já dei mais de 70 voltas em Interlagos. É muito bom.

Guia da Tevê: Você já fez esportes em outras novelas. Depois que terminar “Passione”, você pretende continuar como corredor de stock car?

Marcello: É uma coisa muito ligada à novela que eu estou fazendo. Quando eu fiz “Mulheres Apaixonadas”, eu fazia um personagem que jogava vôlei de praia. Eu fiquei dois meses com a Jaqueline, nossa campeã, medalhista olímpica. Em “Paraíso Tropical” eu fazia um chefe de restaurante que gostava de jogar futevôlei, na praia, eu fiquei dois meses praticando com os melhores professores de futevôlei que têm no Rio de Janeiro e que foi ótimo para mim. Mas eu sempre virava a página.

Guia da Tevê: Você está gravando todo dia?

Marcello: Graças a Deus, a nossa equipe recebe, toda sexta-feira, um roteiro que determina como vai ser a nossa semana seguinte. Isso é bem aventurança para a gente.

Guia da Tevê: Você gosta de comida italiana e qual o seu prato predileto?

Marcello: Eu sou bom de boca. Eu como qualquer coisa. Sendo saudável, eu estou dentro.

Guia da Tevê: O Silvio de Abreu escreve personagens pensando em alguns atores. O que você sabe sobre o seu personagem?

Marcello: Nós já temos mais de 30 capítulos em mãos. Eu já gravei cenas do capítulo 44, que é um desastre que meu personagem vai sofrer, um capotamento, um sério acidente. Eu comecei a gravar a novela em janeiro e isso faz 5 meses.

Guia da Tevê: Como você pensou que seria esse personagem depois dessa apresentação que o Silvio fez?

É a minha Terceira novela com ele. Em Torre de Babel eu fiz um dependente quiímico que quebrou um paradigma na dramaturgia. Em Belíssima, também, eu fiz um personagem que quebrou outra barreira porque ele começou bonzinho e, no final, o público viu que ele era um vilão, ele participava de um plano para acabar com a mocinha da trama. E esse agora que vai trazer novidades ao longo da novela, mas que eu não posso contar porque vai ser uma grande surpresa. É uma quebra de paradigma porque é uma coisa que nunca foi abordado na televisão.

Guia da Tevê: Você vai ter dublês?

Marcello: Sim. Por causa de algumas cenas. Alguns pilotos de stock car, da nossa categoria, o Cacá Bueno, o Tiago Camilo, o Ricardo Maurício, vários pilotos vão fazer participações na novela. Então, nessas cenas em que esses pilotos estão, eu tenho um dublê que é ex-piloto de stock car profissional. É uma coisa que eu não queria me envolver nisso. Uma coisa é você entrar na pista, com pista limpa, e baixar seu tempo sem ninguém do seu lado. Outra coisa é com 20 pilotos do seu lado, babando, querendo te botar para o lado. Nesse sentido, eu tenho um dublê.

Guia da Tevê: Como você e a Mônica fazem para cuidar dos filhos depois da separação?

Marcello: Quando um não está podendo, liga para o outro e fala ‘agora você faz isso’. É um jogando com o outro.

Guia da Tevê: E o que mais vai atrair o público para a novela?

Marcello: A paixão. “Passione” é isso, paixão. Acho que é isso.

Entrevista: Clayton Gallo
Foto: Alex Carvalho/ Rede Globo

Mais lidas