Entrevista com Julio Andrade

Avalie

Entrevista com Julio Andrade

Na pele de “Arthurzinho”, o ator revela que será um dos suspeitos pela morte do patrão e conta as reviravoltas de “Passione”

 

Guia da TV: O “Arthurzinho” caiu na graça do telespectador. É verdade que você se inspirou em alguns amigos para compor esse personagem?

Julio: “Olha, eu diria que com certeza tenho muitos amigos e que por influência a gente acaba se inspirando, mas nenhum amigo em específico. Acho que é mais um lance de observação diária. O ator tem que ser um observador o tempo todo”.

Guia da TV: O seu personagem tem alguns palavreados próprios, como o “milady”.  Foi criação sua?

Julio: “Não. Isso foi do autor mesmo. Foi o Silvio de Abreu quem criou.”

Guia da TV: E você emprestou alguma coisa sua para o personagem?

Julio: “Eu sempre procurei economizar tanto no uso dos jargões como nos trejeitos, para as pessoas acreditarem mesmo nesse cara”.

Guia da TV: O fato de você ser gaúcho, que são tidos como machões, e interpretar um personagem afeminado, isso gera algumas piadas junto aos amigos?

Julio: “Ah… No início, sim. Mas acho que foi tranquilo, principalmente com os amigos. Até porque eu não sou um cara preconceituoso, nunca fui. Então, eu não fico ligando muito pra esse tipo de coisa, não. Quando acontece, é como se eu não ouvisse. É como se não fosse pra mim. A partir do momento que uma pessoa entra nessa, pra mim, não serve como amigo, não serve para ser uma pessoa do meu convívio.”

Guia da TV: O “Arthurzinho” é o fiel escudeiro da “Stela Gouveia”, não é mesmo? Você acha que ele é capaz de tudo pra defender e esconder os segredos da patroa?

Julio: “Acho que sim… Existem pessoas assim no nosso cotidiano, pessoas que têm esse amor incondicional por alguém, como se fosse um familiar ou coisa do tipo. Na minha cabeça, ele é um cara que teve uma família meio perturbada ou então que não aceitou muito a opção sexual dele. Então, ele tem na família da “Stela” a família dele. Aí você também é capaz de fazer qualquer coisa por alguém que ama.”

Guia da TV: Até quando o “Arthurzinho” vai encarar as humilhações do patrão. Você acha que vai ter uma hora que ele vai se encher e virar o jogo?

Julio: “Isso é uma coisa que eu adoraria que acontecesse, porque eu acho que hoje a gente vive num mundo em que é inadmissível que ainda tenha esse tipo de preconceito, em que as pessoas não possam ser aquilo que elas realmente querem ser. E isso é um tapa de luva que seria bem interessante. Pra mim, como ser humano e como defensor do meu personagem, seria bem legal.”   

Guia da TV: Em geral, nas tramas, quando ocorre um crime, o mordomo é sempre o culpado, não é verdade? Você acha que isso vai acabar se confirmando?

Julio: “É, o mordomo é sempre o culpado (risos). Isso já é quase um clichê dentro da teledramaturgia. Mas eu já ouvi algumas opiniões do tipo: a “Stela” pode matar o marido e o “Arthurzinho” assumir a culpa. Acho que seria uma coisa mais desse tipo, né? Porque, ele matar, é quase que óbvio.”

Guia da TV: Numa entrevista, você disse que botou na cabeça que iria fazer uma novela das oito, e conseguiu. Como é isso?

Julio: “Acho que a vida é isso: ter amigos, ver o lado bom das pessoas, andar só com as pessoas que nos colocam pra cima, que tornam nossa vida mais fácil. Eu acho que isso atrai coisas boas sim e eu acredito muito na força do pensamento.”

Guia da TV: Essa é sua primeira novela?

Julio: “Não. Antes eu fiz o “Patrício”, em “Ciranda de Pedra”.

Guia da TV: Gravando uma novela das oito e participando de um dos núcleos principais dela, a gente pensa que a vida pessoal fica meio de lado. O fato de você namorar e morar com uma atriz (Tainá Muller) deixa tudo mais fácil?

Julio: “A minha vida, na realidade, continua igual. Eu continuo sendo a mesma pessoa. A mesma energia que eu coloco num filme, num curta metragem ou em qualquer outro tipo de trabalho no teatro é a mesma energia que eu coloco em tudo o que faço. Então, eu sempre penso que a gente tem que fazer o melhor para colher bons frutos sempre.”

Entrevista: Viviane de Almeida
Foto: Renato Rocha Miranda/Divulgação TV Globo

Mais lidas