Entrevista com Ivete Sangalo

Avalie

Que Juliana Paes é a grande estrela da minissérie Gabriela, todo mundo sabe. Mas outra musa brasileira tem roubado as cenas na trama inspirada na obra de Jorge Amado: Ivete Sangalo.

A cantora tem arrancado elogios até mesmo da crítica com sua interpretação de Maria Machadão. E foi num papo gostoso que Ivete conversou com a Guia Astral. Ela falou muito sobre a personagem, o gosto por atuar e os planos para conciliar a vida de atriz sem parar de cantar jamais.

Confira!

 

ivete-sangalo

Foto: Divulgação Universal

 

Guia Astral: Como está sua relação com Juliana Paes?

Ivete: “Ela é boa atriz e é linda! Dá gosto de ver. E ela é ainda uma mãe maravilhosa.”

 

Guia Astral: Essa é sua primeira e última novela?

Ivete: “Não, meu amor, esse é só o início da minha jornada. Hollywood que me espere!”

 

Guia Astral: Então, você vai continuar na carreira de atriz?

Ivete: “Sim, eu vou. Pode me chamar aí quando tiver novela, minissérie. Pode chamar mainha que mainha já está colada.”

 

Guia Astral: Mas mainha vai continuar cantando?

Ivete: “Vocês sabem que mainha é dramática, mainha faz esse drama, mas não larga o negócio dela. Meu negócio é estar em cima do trio, no palco. Estou me desdobrando para fazer a novela. Quero conciliar minha carreira de atriz, porque deixar de ser cantora, jamais.”

 

Guia Astral: Como é lançar “Gabriela” na sua terra?

Ivete: “Achei chiquérrimo, minha filha. Até falei que eles não iam precisar pagar passagem para eu vir. Eu moro aqui pertinho (risos). Fiquei muito orgulhosa porque é uma forma de homenagear Jorge Amado. Ele é um escritor baiano com uma personalidade bem genuína, bem baiana e fez questão de traduzir isso para o mundo inteiro. E fazer essa festa em Salvador, na terra dele, nada mais justo e mais lindo. Eu fiquei muito feliz!”

 

Guia Astral: O que foi mais difícil de fazer até agora nas gravações?

Ivete: “Não é difícil. É tão prazeroso que não chega a ser difícil. Existe uma emoção. Fiquei muito emocionada quando entrei no cenário. Estava tudo muito caracterizado, tudo de época. Eles foram muito perfecciosistas.”

 

Guia Astral: O Walcir disse que você é uma atriz já. Você vai querer fazer outras novelas?

Ivete: “Eu vou. Inclusive dele. Ele é demais. Ele é chameguento, dengoso. Eu vou querer sim, mas tenho que ver a questão da logística. Eu moro na Bahia, faço 12 shows por mês, fora as propagandas. E como meu filho é minha prioridade hoje, minha agenda é toda em função dele.

 

Guia Astral: O que você achou da crítica de Aguinaldo Silva? [o autor disse em seu Twitter que não concordava com a escalação de Ivete em “Gabriela”]

Ivete: “Achei fofo que ele voltou atrás. É muito mais lindo do que falar sobre isso. Acho que foi um impulso. E realmente ele tem razão, sabe. É totalmente compreensivo. Eu sou uma cantora. Ele é um autor de novela, mas ele é muito mais digno de ter tido a atitude de voltar atrás, me mandar um beijo e ser gentil. E não foi uma crítica. Foi um ciuminho que todo mundo tem. Eu tenho, ele tem, todo mundo tem.”

 

Guia Astral: Você é crítica com o seu trabalho?

Ivete: “Não. Eu estou me achando ótima e esse é o problema. Tô me achando ótima. Eu me vejo e falo ‘Tô ótima’. O diretor não acredita.” (risos).

 

Guia Astral: Você já fez um episódio de “Brava Gente”. Naquela época, você já esperava que interpretaria novamente?

Ivete: “Eu sempre gostei de atuar, eu gosto de ver o exercício do ator. Eu vou muito ao cinema, vejo as tramas todas, analiso direção, analiso tanta coisa. Eu gosto muito disso. Independentemente de estar envolvida ou não. Especialmente quando me envolvo na emoção do filme. Mas eu sabia que eu ia, de alguma maneira, continuar.”

 

Guia Astral: Você está preparada para as cenas de amor com o Fagundes?

Ivete: “Já fizemos essas cenas. Ela tem um chamego com ele, mas é tudo implícito ali.”

 

Guia Astral: Você vai cantar também?

Ivete: “Vou cantar sim, porque no Bataclã ela interage. Eu mudei um pouquinho a voz. É meio Édith Piaf, aquelas vozes mais metálicas.”

 

Guia Astral: Você foi bem recebida como atriz?

Ivete: “Muito e isso facilitou na minha desenvoltura como atriz. É bem verdade que eu sempre gostei de atuar. Não necessariamente quis ser atriz, mas sempre gostei. Atuei na escola, fiz algumas coisas, mas sempre fiz de uma forma muito leve. Mas quanto a essa responsabilidade, de ser na Rede Globo… Uma obra dessa é muito assistida. Desde o começo fui tratada como atriz. Então, eu cheguei com o sentimento de ‘poxa, como vai ser’ e fui tratada de uma forma tão doida, boa.”

 

Guia Astral: Você teve alguma preparação?

Ivete: “Não. Uma preparação de verdade, não. Eu fiz uma leitura de texto com o Maurinho, que é o diretor da novela. Lá na leitura eu pedi a ele que eu pudesse absorver do ponto de vista da prosódia, da forma de falar, uma outra forma de falar, pra que não parecesse com Ivete. Eu tenho uma presença na televisão muito intensa. As pessoas me conhecem muito, é muito transparência. Eu queria fugir ao máximo da Ivete. Então, mudei a forma de falar, o que é muito gostoso e agora estou falando como mainha falava e que é uma coisa do interior da Bahia.”

 

Guia Astral: Você tem vontade de fazer mais coisas na TV?

Ivete: “Agora eu tenho vontade de fazer cinema. Fiquei feliz que o Waltinho me chamou, que o Maurinho me chamou. Fiquei muito lisonjeada com a possibilidade de fazer, porque é um tempo já determinado.”

 

Guia Astral: O que representa para você fazer Gabriela?

Ivete: “Eu tive a felicidade de fazer Gabriela. Eu fiz um esforço para participar porque é uma obra de Jorge Amado e é uma honra muito grande. É uma novela de Jorge, baiano, que retrata a vida da gente. E tem uma poesia o fato de eu ser uma cantora baiana, que pretende ser uma atriz e que está batalhando para isso. Eu acho isso muito lindo.”

 

Guia Astral: E como está sua relação como Emanuelle Araújo, que também é cantora?

Ivete: “Emanuelle é minha amiga. O Bataclã só dá nós. Eu, ela mais Ilde e Fafá. Sabe quem é Fafá? Fagundes (risos).”

 

 

Entrevista: Hérica Rodrigues

Texto: Soraia Alves

Mais lidas