Entrevista com Dira Paes

Avalie

Entrevista com Dira Paes 

  

Engajada na cultura brasileira, a atriz fala dos novos projetos para 2011

 

Guia da TV: O que mais tem em vista para o futuro?

Dira: Em junho faço o filme da Betsy de Paula, que vai filmar o primeiro longa dela no Rio. É o Vendo ou Alugo, a Marieta é quem vai protagonizar. Ela me apresentou minha priemira comédia no cinema, O Casamento de Louise foi um filme que me deu muitos prêmios como comediante. Isso foi muito novo para mim, eu nunca tinha feito comédia na tevê ou no cinema. E o público é muito querido com quem faz rir. Foi quase um aquecimento para A Diarista.

 

Guia da TV: Você tem alguns longas para lançar em 2011. Quais?

Dira: Em 2011, deve estar estreando quatro longas que eu fiz. Amazônia Caruana, que rodei em 2008 e inclusive com a Carolina Oliveira; tem também oEstamos Juntos, com a Leandra Leal; fiz o Sudoeste, do Eduardo Nunes, À Beira do Caminho, do Breno Silveira, que é um filme com o Ângelo Antônio. A mesma direção de Dois Filhos de Francisco.

 

Guia da TV: Você é uma das mulheres mais engajadas na preservação do Crac?

Dira: Eu gosto dessa ideia de conectar uma região com efervecência cultural local mas que não se comunica muito com o resto do Brasil por conta da distância. O festival é uma realidade, estou feliz. O que queremos agora é o primeiro edital para longa metragem. Acho que o Pará não faz um longa há uns 60 anos. É um paraíso a ser descoberto, mas digo um edital para cineastas paraenses, um longa-metragem do Pará.

 

Guia da TV: Você sente falta de ver outros artistas engajados com você?

Dira: Acho que a gente tem que fazer as coisas com naturalidade. Eu gosto de lá, visito o Pará pelo menos umas quatro vezes por ano. Eu saí do Pará com 17 anos e aprendi mais sobre o estado depois que saí do que quando vivia lá. Eu conheci o Pará visitando depois. Acho que é um estado, do Brasil que eu conheço, que mais conteve e manteve a cultura do Brasil bem primitivo, de antes dos portugueses. Isso é muito vivo no nosso cotidiano e faz 510 anos! Acho isso interessante. A farinha de tapioca misturada aos vinhos de Meriti, de açaí, é uma cultura ribeirinha muito preservada. Cultura indígena, cabocla, portuguesa, judaica, é um estado que tem uma riqueza cultural forte. Mas o engajamento tem que ter uma vontade, um querer. Eu não acho que eu tenho uma missão, acontece comigo naturalmente.

 

Guia da TV: A imprensa anda noticiando que você está escalada para Fina Estampa, próxima novela do Aguinaldo. Você já assinou com eles?

Dira: Eu li isso também, mas não tive nenhum contato oficial. Acho que como ainda estou no ar em Ti-ti-ti, se for rolar, deve ser mais frente.

 

Guia da TV: O que você espera de 2011?

Dira:  Espero um ano com um Rio de Janeiro exemplar. O que está acontecendo aqui pode ser um exemplo para o mundo. Como alguns lugares servem de exemplo para o rio hoje. Não não podemos deixar esse movimento cair, temos que ajudar nessa mudança para que a gente possa usufruir dela no futuro.

 

Texto: Larissa Faria
Entrevista:
Foto:

Mais lidas