Entrevista com Alinne Moraes

Avalie

Longe da TV desde que viveu Lili em “O Astro”, Alinne Moraes tem se dedicado ao cinema e ao teatro. Recentemente, a atriz participou dos filmes Heleno com Rodrigo Santoro e “O Vendedor de Passado” ao lado de Lázaro Ramos, e na metade de 2012, Alinne estreia a peça Dorotéia, onde vive a personagem principal baseada na obra de Nelson Rodrigues.

Confira o bate papo de Alinne Moraes com a Guia Astral!

 

Alinne-Moraes

Foto: João Miguel Junior/ Divulgação TV Globo

 

Guia Astral: Você gravou recentemente o filme Heleno, ao lado de Rodrigo Santoro. Qual a sua relação com o futebol?

Alinne: “Preciso confessar que eu não sei absolutamente nada sobre futebol. Não tenho relação nenhuma. É porque sou filha única e somos só mulheres em casa. Não fui apresentada ao futebol, não tive essa paixão na minha vida. Mas estão tentando me convencer a ir assistir a uma partida do Vasco.”

Guia Astral: Qual a diferença em fazer cinema e televisão?

Alinne: “No cinema você tem todo aquele perfeccionismo de fazer uma cena com mais cuidado. Você tem o tempo do silêncio, que é uma coisa que a televisão não permite. Principalmente com esta personagem que fala muito o que está sentindo através do silêncio.”

Guia Astral: Quais projetos você tem pela frente?

Alinne: “Comecei a ensaiar uma peça de teatro no Rio. A minha personagem é a Dorotéia. É um projeto em que estou envolvida desde o ano passado. Vai estrear em junho ou julho e depois a gente vai pra São Paulo. A peça fala sobre como as pessoas são escravas da beleza. É uma peça muito atual, distinta, estou muito feliz com esse novo trabalho. E me interessa tocar nesse ponto porque as pessoas sempre pedem mais de nós quando somos bonitos.”

Guia Astral: Você não vai fazer Guerra dos Sexos?

Alinne: “Não por conta de vários projetos, mas não posso ficar falando muito. Gosto de dizer quando as coisas estão fechadas!”

Guia Astral: Você comentou que a sua personagem do filme O Vendedor de Passado é um grande desafio na sua carreira. Por quê?

Alinne: “É uma personagem muito misteriosa, ele evita contar sobre seu passado pro Vicente (Lázaro Ramos). É muito difícil porque não tem muito parâmetro de onde me basear na atuação sobre a história dela. Todo mundo se refere à tetraplégica que eu fiz em Viver a Vida, dizendo que era muito difícil. Eu achei uma personagem mais fácil, porque você tem em que se basear, tem um corpo ali, uma postura, uma história, uma experiência, uma dor.”

 

Entrevista: Ester Jacopetti

Texto: Soraia Alves

Mais lidas