Adriana Birolli conta como conquistou o prêmio de Atriz Revelação do ano

Avalie

Adriana Birolli conta como conquistou o prêmio de Atriz Revelação do ano  

Guia da Tevê: Como você se sente por ter ganhado? Achava que o prêmio seria seu?

Adriana: “Ah, não tem como saber se é seu ou não é. E somos três amigas. As duas outras concorrentes eram da mesma novela. Uma é a minha irmã, cultivamos esse relação fora da novela também. A Bárbara, muito antes de eu pensar em televisão, eu já acompanhava no teatro os seus trabalhos, é uma atriz excelente.”

Guia da Tevê: Quanto da Isabel é do texto e quanto é criação sua ali?

Adriana: “Se eu crio o que eu crio, é a partir da matéria-prima, que é o texto que o Manoel Carlos manda. É claro que eu poderia fazer aquilo tudo de uma maneira diferente, respeitando o texto que ele escreve, então eu acredito que seja 50% meu e o resto dele. Ele me dá a oportunidade de fazer o que eu faço. O tom de comédia talvez não existisse. Foi uma opção colocar, deu certo e continuou. O Manoel Carlos é um autor que trabalha a partir daquilo que a gente dá para ele. No início é uma coisa, depois você percebe coisas que você mesmo criou e que ele incorporou ao roteiro. É lindo passar por isso. Coisas que a gente dá e que ele roteiriza. O tom de comédia foi algo que eu coloquei, acho que deu certo e a Isabel ganha carisma com isso.”

Guia da Tevê: Mas você já disse que não achava a Isabel uma vilã. Mudou de ideia?

Adriana: “Na minha cabeça, sinceramente, a Isabel não é uma vilã. Mas o Brasil inteiro acha, então fica difícil dar murro em ponta de faca o tempo todo. Agora eu já prefiro dizer que sim, que ela é vilã, porque fica mais fácil. Até porque ela faz maldades, não é? Ela fala a verdade sim, mas faz maldades, ela machuca. Ela não toca nas feridas, ela aperta.”

Guia da Tevê: Você acredita que a Isabel possa passar por uma transformação e melhorar?

Adriana: “Não acredito muito em viradas. É o caráter dela, foi como ela aprendeu a ser. Ela foi criada ali, passou pelas experiências dela. Essas coisas formaram o ser humano dela. A Isabel é uma personagem complexa, parece uma pessoa real. Não são características e ponto. Lendo o texto, enxergo muito mais do que um simples personagem. É a maneira dela de se defender. Ela foi excluída e, pior, ela se sentiu excluída, se colocou nessa situação de excluída. De alguma maneira, ela tem de se defender. Essa dureza e rispidez são frutos disso.”

Guia da Tevê: Você acha que o amor pode transformar a Isabel?

Adriana: “Muito amor, talvez. Mas o problema é que ela não sabe receber amor. Ela não aprendeu isso.”

Guia da Tevê: Explica para a gente de onde é a sua roupa de hoje…

Adriana: “O cabelo foi inspirado em Olhos de Laura Mars, numa cena do filme em que a Laura fotografa com umas modelos e uma delas usa esse penteado. A roupa é da Triton, eu escolhi, é uma roupa de desfile, não é de venda. O sapato dá todo o contraponto da roupa, ele acontece, é assinado pelo Fernando Pires.”

Entrevista: Marvio Gonçalves
Foto: Wallace Barbosa/AgNews

Mais lidas