Como lidar com a fase da andropausa masculina

Avalie

Quando falamos em mudanças na sexualidade, geralmente pensamos que isso só acontece com as mulheres. As alterações mensais causadas pelo ciclo menstrual são conhecidas por todos. Além disso, a menopausa que atinge as mulheres durante a maturidade não é segredo para ninguém.

Mas os homens também sofrem alteração ao longo dos anos. Conversamos com a psicóloga Marcela Pastana, que é especialista em sexualidade, para esclarecer algumas curiosidades sobre a sexualidade masculina. Será que o apetite sexual dos homens diminui com o tempo? Confira essa e outras respostas logo abaixo.

homens-andropausa

Foto: Thinkstock/ Getty Images

Mudanças masculinas
Marcela Pastana explica que assim como existe a menopausa para as mulheres, para os homens há um período chamado andropausa, que também corresponde à queda da produção de hormônios no organismo, no caso, a testosterona. Para os homens, essa diminuição acontece de um jeito mais lento do que nas mulheres, por isso os sintomas sentidos por eles são mais suaves: “Não são todos os homens que apresentam sintomas nessa fase, e nem todos tem uma queda hormonal significativa”, explica Marcela. Isso pode acontecer a partir dos 30 anos, e o homem pode ficar mais estressado,  com falta de sono, e até mesmo com problemas emocionais. Mas o apetite sexual pode não sofrer alteração alguma.

Idade x Impotência
Muitos homens e mulheres acabam associando a impotência sexual com o avanço da idade masculina. Marcela considera isso um mito: “Não há impedimentos fisiológicos para que as pessoas mais velhas continuem tendo relações sexuais e sentindo prazer”, afirma a especialista, que explica mais: “Muitas pessoas acreditam no mito de que a atividade sexual cessa com o passar do tempo, e acham que as mudanças fisiológicas que acontecem com a idade são sintomas de impotência. O medo de não conseguir a ereção pode fazer com que alguns homens evitem a relação sexual, para não correrem o risco de se confrontarem com a frustração”, diz Marcela. Na verdade, a disfunção erétil está mais aos fatores emocionais, do que físicos. “De qualquer forma, há tratamento e medicamentos para pessoas que passam por essa dificuldade”, alerta a psicóloga.

Ajuda feminina
É importante que a mulher se mostre solícita para o seu parceiro nesse período. Marcela alerta que é fundamental deixar de lado o mito de que é preciso ter desejo sexual sempre, ou ter um desempenho excelente. A mulher deve considerar o contexto da relação e também os fatores emocionais do parceiro: “Quando houver dificuldades, não se deve lidar com elas com cobranças”, alerta a psicóloga, e completa “a preocupação pode gerar mais pressões”, o que vai atrapalhar ainda mais esse momento. Seja compreensiva. É só uma fase!

Mais lidas