Uma multa surpresa

Avalie

Naquele dia eu saí de casa só pra levar meu irmão no apartamento de um amigo. Era tão perto que nem me preocupei em colocar o cinto de segurança ou uma roupa mais decente. Resolvi sair só com o pijaminha preto que eu usava durante a tarde tediosa de domingo. Deixei-o no amigo e assim que virei a esquina para voltar para casa dei de cara com um carro da olícia, parado bem ali. O policial viu que eu estava sem cinto e me parou. Entrei em pânico, não fazia nem seis meses que eu havia tirado carta e já ia
perdê-la. A solução seria enganar o policial, subornar, não sei, eu daria um jeito. Só quando ele desceu do carro que eu percebi como era lindo. Alto, magro e musculoso. A farda só o deixava ainda mais sexy. Ele parou do meu lado e pediu meus documentos. Eu desci do carro e entreguei nas mãos dele. Vi que ele me olhou de cima a baixo e só seu olhar já me
deixou excitada. Resolvi tentar minha tática de persuasão. Perguntei se não teria algum jeito de deixar aquela multa passar. Ele me olhou novamente. Eu sentia minha calcinha molhada e uma vontade intensa de beijar todo o corpo daquele homem. Discretamente ele pediu que eu o seguisse até seu carro dizendo que veria o que poderia fazer por mim. Ele abriu a porta do passageiro e mandou que eu empurrasse o banco para trás. Fiz o que ele mandou e logo em seguida ele sentou e me puxou pra cima dele. Começou a me beijar e acariciar meus seios e minha bunda. Eu passava a mão por suas costas e por cima de sua calça e ficava cada vez com mais tesão. Eu nunca havia sentido tanta adrenalina dentro de
mim. Rápido, ele abaixou meu short de cetim e abriu o zíper de sua calça. Com dedos ágeis, ele viu que eu já estava pronta e eu senti na minha virilha que ele também estava. Rapidamente ele me penetrou por inteira. Senti todo seu corpo por baixo do meu. Com um ritmo intenso e constante, ele me fez rapidamente atingir o orgasmo, umas duas vezes. Depois eu me levantei rapidamente e realizei meu desejo de beijá-lo inteiro. Comecei em seu pescoço e fui descendo. Beijei todo seu peitoral musculoso enquanto o acariciava com as mãos, e ele a mim. Fui direto para seu pênis, que parecia ainda maior em minhas mãos. Só parei depois que, juntos, atingimos novamente o orgasmo. Saímos do carro como se nada
tivesse acontecido e nunca mais nos vimos. Fui embora sem a multa e não perdi minha carta, e de quebra, não passei o dia no tédio.

Leia amanhã: “Entrevista sensual”

Mais lidas