Mistura gostosa

Mistura gostosa
Avaliação 5 - Votos 1

A história que eu vou te contar tem que ficar em segredo… Ai se meu namorado souber disso! Há alguns meses eu fiz uma viagem para a África. Já tinha ouvido falar como os africanos são bem dotados, mas esse, vou te falar… ó meu pai!
Eu e alguns amigos fomos convidados para ir a um churrasco durante a viagem. A festa durou o dia todo. Todos bebendo e se divertindo. Eu estava meio brava, não ia dar pra tomar um sol e pegar uma cor, ia continuar branquela porque o dia estava meio fresquinho, mas um cara, que com certeza já tinha bebido mais do que deveria, resolveu pular na piscina. Ele estava louco, a água estava gelada. Ficou todo encharcado e resolveu tirar a calça e para a minha surpresa,ele saiu da piscina só de cueca branca e todo aquele volume aparecendo. Eu já imaginava que deveria ser grande, afinal o cara era um armário. Negro, alto, bem musculoso e com uma cara de safado que deixaria qualquer menina aos seus pés, literalmente. Eu já tinha bebido um pouco também, e mesmo tendo namorado, estava louca de vontade de levar ele para algum lugar mais reservado, talvez enxugar ele, dar um banho quente. Minha cabeça começou a girar. Precisava daquele homem.
Acho que ele percebeu minha reação na hora que saiu da piscina porque não parava de me olhar. Chamei ele no canto e perguntei se ele queria ajuda para se esquentar. Joguei todo o charme que eu tinha e puxei seu braço para leva-lo ao banheiro. Seu braço era enorme e forte e só de imaginar ele me abraçando e me empurrando eu fiquei super excitada e antes mesmo de fechar a porta, Francis já estava todo em cima de mim. Me beijava e me empurrava até chegar na parede. Comecei a sentir seu volume aumentar cada vez mais. Ele passava uma mão nas minhas costas e descia na minha bunda enquanto a outra apertava meus seios com firmeza. Eu segurava suas costas e passava a mão pelo seu peitoral escultural. Aquele homem era gigante,
eu estava impressionada e ansiosa até a hora em que ele tirou sua cueca.
Parecia algo de outro mundo, fiquei assustada com o tamanho de seu pênis. Era grande e grosso, nada com o que eu estava acostumada. Ele percebeu minha reação e pediu para que eu ficasse calma, que ele não ia me machucar e começou a tirar minha roupa. Tirou a regata e meu biquíni enquanto massageava meus seios e brincava com meus mamilos. Com uma mão, ele entrou no meu short e começou a me acariciar. Passava a mão por todo meu sexo, me deixando com ainda mais tesão. Foi quando eu peguei no seu mastro. Quase não cabia na minha mão.
Enquanto nos acariciávamos percebi alguém olhando pela janela, mas não liguei, estava achando essa experiência maravilhosa. Tomei coragem e comecei a chupar o Francis enquanto olhava o estranho ao lado. Enfiava tudo o que conseguia na boca enquanto ele enfiava seus dedos em mim. Depois de gozarmos, Francis me sentou em seu colo, tirou meu shorts e devagar começou a me penetrar. Depois de já estar dentro de mim por completo eu não queria mais que saísse, gritava e gemia. Aquilo era uma nova sensação de dor e prazer. Eu arquejava as costas e via meu estranho observador se tocando, me deixando ainda mais excitada e gozando mais de uma vez. Voltamos para a festa disfarçadamente e eu, aproveitei para ‘bater um papo’ com o voyeur que assistiu o melhor sexo da minha vida.

Leia amanhã: “O professor de piano”

Mais lidas