Filho do meu amigo

Avalie

Sou um cara atraente. Branco, olhos castanhos, 1.84 e 45 anos. Tenho um amigo da época de jovem chamado Daniel, que também está muito bonito,  hoje com 43 anos.
Embora eu goste de comer homens, nunca aconteceu nada entre nós, pois sempre saíamos e curtimos muitas garotas na época que tínhamos entre 20 e 25 anos. O tempo passou, Daniel se casou com uma linda mulher e tem dois filhos: Paula e Renato. Aí começa a história mais intrigante da minha vida. Renato, hoje com 18 anos, teve uma festa no seu aniversário. Daniel não economizou e fez uma superfesta num lindo local e com muitos jovens. Comprei uma camiseta bacana para Renato e quando entreguei, ele adorou e vestiu na hora me dizendo que iria guardar com muito carinho de uma pessoa especial, e ainda, me deu uma piscada. Achei legal, embora não tivesse tanta intimidade com ele. Durante a festa ele vinha a todo instante me trazer bebidas e lanches. Estava realmente me tratando de modo especial. Não estranhei e agi normalmente. Daniel estava ocupado e pouco falei com ele durante a festa. Jã era meia noite e eu estava cansado, quando Renato se aproximou e perguntou se eu estava gostando. Eu disse que estava tudo muito bom, porém, sim, eu estava cansado. Aí Renato disse que se eu quisesse poderia descansar no seu quarto, pois a festa iria até de manha. Como estava realmente cansado, aceitei, sem maldades. E fui..
A festa continuou rolando e grande partes das pessoas, inclusive Daniel, estavam bem alterados por causa das bebidas. Eu me retirei para descansar no quarto do Renato e quando passaram umas duas horas, eu meio adormecido, percebi alguém entrar no quarto. Perguntei quem era e sem resposta senti alguém se aproximar. Sentei na cama e uma voz disse: “está tudo bem”. Era o Renato. Ele entrou, trancou a porta e perguntei o que estava acontecendo, então ele me disse que surgiu uma oportunidade e ele deixou um pouco a festa para me ver, pois ele queria me contar algo. Quis acender a luz e ele não deixou, disse que não queria que ninguém soubesse que ele estava ali. Então tive a maior surpresa de minha vida. Renato foi direto. Queria um presente especial: ele queria ser penetrado pela primeira vez aos 18 aninhos por um homem maduro e especial, eu.
Assustei e disse que não era legal, pois eu era amigo de Daniel, seu pai. Ele colocou a mão em minha boca e me deu um beijo, aí meu pau se levantou na hora, então ele começou a me acariciar no peito, na coxa, e por fim,  passou a mão na minha pica já dura como pedra. Não demorou e estávamos pelados, com ele me chupando com muito gosto. Renato chupa muito bem! Não demorou e eu estava chupando seu cuzinho, loirinho com pelinhos delicados. Cara, que delícia! Passei uns 10 minutos lambendo aquele cuzinho virgem e aí virei ele de bruços e sem camisinha mesmo comecei a penetrá-lo. Tenho uma pica de 16 cm bem grossa. Enfiei a cabeça forçando e finalmente tirei a virgindade de Renato. Fui entrando devagar, com cuidado e ele chorava um pouco, mas estava curtindo cada cm da minha pica. Quando entrou tudo, o saco já batendo na sua bundinha, começou o melhor vai e vem da minha vida. Parecia que a força da minha pica levantava o Renato da cama, de tanto tesão que eu sentia. Ficamos uns 30 minutos num vai e vem frenético, até que explodi num gozo espetacular, saindo porra do cu de Renato e escorrendo pelas coxas. Depois nos beijamos, demos risadas e voltamos para festa, como se nada tivesse acontecido, afinal, dei um presente especial ao Renato. Daniel ainda é meu amigo, mas este segredo é só meu e do meu garoto Renato. Continuo a comer ele até hoje. Quem sabe um dia aconteça de eu comer pai e filho. Vamos ver.

Mais lidas