Estudando o corpo humano

Avalie

Olá, me chamo Emmi, vou contar uma história verdadeira para vocês… Hoje tenho 27 anos, mas na época do conto eu tinha 23. Tudo começou quando uma gatinho entrou na faculdade e para minha sorte ele seria da minha sala. A professora apresentou ele à turma e estava tudo lindo. Os dias passaram e quando ele já estava íntimo de todos da sala, o professor de ciências pediu para formarmos duplas e ele me chamou. Claro que eu não iria recusar de jeito nenhum. O trabalho era sobre o corpo humano.
Marcamos na casa dele para começar a fazer o trabalho e quando cheguei lá ele me recebeu muito bem. Não tinha ninguém em casa e ele me ofereceu um suco, mas eu não quis. Ele me chamou para ir para seu quarto, pois o computador estava lá.
Chegando lá nós adiantamos uma boa parte do trabalho. Depois ele se deitou na cama, eu sentei junto dele e ele falou:
– Não quer deitar pra descansar um pouco?
– Se você não se importar… Sim!
– Agora vamos estudar os nossos corpos
– Jura? Como assim?
– Deita aqui que eu te mostro!
Deitei e não demorou muito pra eu sentir aquele calor subindo. Ele deitou em cima de mim e eu fiquei superassustada. Ele começou a me beijar bem gostoso, suave e carinhoso. Sua mão já estava descendo, descendo, até que chegou na minha saia. Ele botou a mão por baixo e começou a acariciar a minha bucetinha bem de leve, depois tirou minha calcinha e continuou os movimentos.
– Ta gostando?
– Continua .
Ele me obedeceu, tirou a minha blusa e chupou meus peitos igual um bebê tomando leite . Eu pedi:
– Tira essa calça aí vai…
– Só se for agora. Quero ver o quê você sabe fazer.
Ele botou o paixão dele pra fora e eu comecei a chupar aquele cacetão gostoso e grosso. Estava muito bom e ele até gemia… Eu cansei, então ele me botou de quatro e meteu em meu cuzinho apertado e eu gemia bem alto.
– Vai, grita, grita mais alto, vai!
Eu gritava bem alto até que ele tirou e gozou. Ele goza muito rápido! Eu deitei de barriga pra cima, ele chupou minha bucetinha, sentiu o meu Nelsinho escorrendo em sua língua e adorou o gostinho. Depois ele meteu o pau na na minha bucetinha e eu gemia, gemia, gemia, gemia muito, porque estava muito gostoso. Aí infelizmente alguém bateu na porta para acabar com a nossa alegria. Ele falou:
– Se veste rápido que nosso estudo acabou por aqui hoje, mas ainda não acabamos!
Eu achei aquilo o máximo, me arrumei rápido e saí. Era a mãe dele que tinha chegado e como ela era cristã ele pediu pra eu ir. Mas não pense que só tivemos esse estudo, porque fizemos mais trabalhos juntos!

Mais lidas