Consolando minha amiga

Avalie

Tinha uma amiga na faculdade chamada Malú. Ela não aparentava a idade que tinha, pois era baixinha, voz de anjo e rostinho de menina. Apesar disto, tinha 20 anos. Certa vez, enquanto saía da biblioteca, a vi chorando em uma das cadeiras. Na verdade, a vi de cabeça baixa, só quando a chamei percebi seu choro. Prontamente sentei em seu lado e perguntei o que estava acontecendo. Ela meio sem jeito falou que havia terminado com seu namorado, e que ele acabara de ligar definitivamente terminando tudo. Abracei-a e comecei a falar palavras de conforto. Como pegávamos o mesmo ônibus, perguntei se ela já iria para casa, e ela respondeu que sim. Fomos embora, pegamos o onibus e, como acontecia diariamente, entramos em um congestionamento. O tempo foi suficiente para ela me agradecer a atenção, e enquanto nos abraçávamos, rolou um beijo. E assim veio outros dois, três, quatro beijos. Ela me pediu que, se pudesse, a acompanhasse até a casa dela. Como já havia feito trabalhos e grupos de estudo na casa dela, sabia que naquele horário os pais dela estavam em casa, então não planejei nada demais para aquela ocasião. Para minha surpresa, a casa estava vazia, e na conversa ela falou que os pais haviam viajado. Foi então que senti o clima, e durante um outro beijão, minhas mãos caminhavam em suas curtas pernas. Ela se entregou também, subiu no meu colo e continuou a beijar-me.
Em poucos minutos estavamos sem roupa e eu à chupá-la ali mesmo no sofá. Suas mãos acariciavam meu cabelo, enquanto eu passava minha lingua suavemente em sua buceta. Fui subindo, até encontrar seus pequenos seios. Peguei-a no colo, e como já conhecia a casa, a levei para o quarto dos seus pais. Chegando lá, coloquei-a na cama, e ela ofereci meu membro para ela. Ela com aquelas maozinhas me masturbava e chupava.
Em pouco tempo descobri que ela gostava de estar no comando. Subiu em meu colo, apoiou-se na cabeceira da cama, deixando os seus peitos à altura da minha boca. Cavalgava deliciosamente em meu pau enquanto eu mamava aqueles peitinhos.
percebi que ela gozou, eu não. Virei-a de lado na cama, fui por trás, coloquei meu pau em seu cuzinho e, devagar, fui colocando mais e mais, e com minha mão acariciava seu clítoris. O ritmo que eu bombava em seu cuzinho era o mesmo que eu batir uma pra ela. Gozei como nunca, enchi ela de porra, a fiz gozar denovo, enquanto chamava ela de gostosa, linda, delicia, sussurrando em seu ouvido.
Nos vestimos, assistimos um filme, e nos encontramos outras vezes. Pena que o nosso relacionamento não deu certo, mas foi muito bom enquanto durou.

Mais lidas