1 vez compartilhando a esposa

Avalie

Somos um casal de mais ou menos 30 anos de idade e temos muito apetite sexual. Vou me determinar como Carlos e minha esposa como Carla. Há muitos anos tenho a fantasia aflorada em meu estado de espírito e tenho definido para mim que sou um corno manso assumido. Para muitas pessoas da atual sociedade é difícil o entendimento dessa forma de ser e de pensar. Como aceitar que seu parceiro mantenha relacionamento sexual com outras pessoas em sua frente. Pois é, também não compreendo muito bem, mas é um opção minha e que apesar da difícil forma de compreender me traz muitos benefícios. Um deles é que sempre aprendo mais e mais sobre minha parceira e com isso consigo repassar mais momentos de prazer e carinho a ela. Com essa forma ‘louca’ de sentir tesão consigo me satisfazer plenamente e aprendo a satisfazer cada vez mais e mais minha parceira, além de proporcionar um tesão diferente e muito abrangente a minha companheira, saindo do tradicional e passando por horizontes até então não conhecidos por ela.

Pois é, certo dia consegui convencer minha querida e amada esposa a praticar o “wife sharing”, que em português nada mais é que o “compartilhamento da esposa pelo marido”. Ela até o momento nunca se imaginou em tal situação e tinha como um desejo louco e maluco do seu marido até então. Conhecemos um rapaz pela internet, com idade de 30 anos, casado, com filho e que apresentava interesse em tal relação. Vou denominá-lo de Tiago. Pois bem, com o passar dos dias, passamos a teclar com o Tiago e o conhecemos cada vez melhor, já que não queríamos manter esse tipo de relação com um pessoa totalmente estranha e que não sabíamos nada. Com o decorrer do assunto passamos a falar sobre sexo e sobre fantasias sexuais. Ambos, Carla e Tiago, não tinha experiências no assunto, porém, como eu já havia realizado em algumas oportunidades essa fantasia, passei a tranquilizá-los e os mesmos passaram a ficar mais tranquilos e se liberar mais no tocante ao cunho sexual.

Ficamos mais de uma semana até a possível realização do ato, ou seja, satisfação das fantasias por mim propostas e aceitas por ambos. A cada dia que passava via o tesão aumentar relativamente entre nós, porém o nervosismo aumentava conforme o aumento deste tesão. Muitas foram as ideias propostas por nós durante esse planejamento já que era algo que não sabíamos como iríamos lidar e nem como seria realmente durante a realização do ato ou fantasia, como preferir chamar. Eu seria um corno completo e satisfeito com a situação. A esposa teria sua realização completa sexualmente pela relação, tendo 2 membros do sexo oposto, e ainda, nosso visitante teria a oportunidade de se divertir a vontade com a minha companheira e com minha anuência, ou melhor dizendo, seria o comedor do casal.

Enfim, chega sexta-feira e começam os preparativos para o dia, após a realização dos serviços diários e tradicionais. Minha esposa sai no início da tarde para fazer cabelo, mãos e pés enquanto trabalho e imagino como seria o ato na noite. Algumas dúvidas aparecem em meio ao enorme tesão surgindo no dia. Minha esposa chegava a tremer num nervosismo só pela situação e apresenta muitas dúvidas com relação a mim. Uma das principais duvidas era com relação a minha possível reação ao assistir sua mulher beijando e esfregando-se com outro homem. Procurei acalmá-la dizendo para não ter essas dúvidas, já que era uma opção minha, que eu gostava e sentia tesão na situação. Após muito nervosismo chega o momento e a hora marcada com o rapaz. Minha esposa sai de carro para levar nosso filho a casa da avó tremendo igual vara verde, procuro acalmá-la, mas sem muito sucesso. Faço um belo chimarrão enquanto aguardo a vinda do rapaz, de forma ansiosa, mas com certeza bem mais tranquilo que ambos. Chega o momento e Tiago aperta o interfone. Vou recebê-lo no prédio para que o mesmo possa guardar sua moto no estacionamento. Logo após, o mesmo desce da moto e nos cumprimentamos seguindo ao apartamento onde aconteceria o ato. No decorrer do caminho, Tiago me fala sobre o tempo, a fim de quebrar o gelo. Concordo e digo que devido a nuvens poderia chover e assim começamos a nos conhecer. Chegamos no apartamento, e até então,  Tiago não havia demostrando sinais de nervosismo, porém, quando o mesmo aceita o chimarrão que lhe ofereci e passo a cuia, vejo que o mesmo treme, acho que até mais que minha esposa. Tento acalmá-lo falando sobre diversos assuntos e com o passar do tempo o mesmo começa a se sentir mais em companhia de um amigo ao invés de um estranho, mas a tremedeira do mesmo persiste. Após uns 20 minutos chega minha esposa muito sem graça e sem saber como se portar. Tento relaxar o ambiente conversando com ambos e com o tempo eles vão se sentindo melhor e se soltando aos poucos. Até que chega o momento que esperávamos: eu e minha esposa apresentamos o apartamento a ele, até o momento que chegamos ao quarto. Eu com a malandragem que já possuía e sabendo do nervosismo de ambos invento uma desculpa dizendo que iria por o lixo na rua para que minha esposa e ele tivessem um começo com menos nervosismo possível. Pois bem, foi o que ocorreu. Fui colocar o lixo e quando cheguei já estavam no quarto, fui direto ao local e os mesmo já se beijavam enquanto as mãos de Tiago resvalavam pelo lindo corpo de minha mulher. O tesão, no mesmo instante, passou a tomar conta de mim quando vi a cena. Via a língua passar pela boca de um  para o outro, enquanto o tesão subia vagarosamente pelas curvas do corpo da minha esposa. Em seguida, vi Tiago deitar minha esposa sobre a cama e começou a carícia por parte de ambos e aquilo começou a encher meus olhos de tesão. Minha esposa amada já segurava o pau do Tiago por cima das calças enquanto ele já começava a tirar sua roupa. A bunda de minha esposa já aparecia enquanto ela começou a tirar a calças dele e eu assitia tudo sem perder nenhum detalhe. Logo que ambos já estavam apenas de roupas íntimas, reparei uma investida mais forte das mãos por parte de Tiago, que acariciava a xota e o rabinho de minha esposa. Ela já segurava o pau de nosso amigo por dentro das cuecas e sentia o tesão tomando conta de seu corpo pela linda expressão em seu rosto.

Então o jogo começou e minha esposa caiu de boca na vara de nosso amigo e dava pequenas olhadas para mim com uma cara de satisfação, enquanto Tiago enfiava os dedos e a língua em seu cuzinho e sua xoxotinha.. O pau de Tiago ficou bem duro, e logo, ele colocou minha esposa de frente abrindo suas pernas, colocando as mesmas sobre seu ombro e começou a socar na bucetinha de minha esposa. Eu quase delirava de tesão assistindo aquele pau entrar e sair da boceta da minha esposa. Estava sendo o que sempre pedi a ela, um verdadeiro corno manso. Logo após alguns minutos ele a colocou de quatro e começou a socá-la segurando pelos seus cabelos. Nossa, nunca tinha realmente imaginado que minha esposa conseguiria ficar peladinha com outro macho bem na minha frente. Para mim, foi um cena espetacular e mágica, em que o tesão me fez quase tremer. Eu me contorcia, batendo punheta, olhando o prazer de minha esposa… E quando achei que não poderia ser melhor, minha amada esposa sai da posição de quatro e cai de boca no pau de Tiago, começando a chupá-lo como se fosse um pirulito. Ficou chupando-o por cerca de uns quatro a cinco minutos, até que o mesmo não resistiu e encheu a boca da minha amada mulher de leite. Ela ficou com uma cara de sacana e saiu correndo para o banheiro para cuspir toda aquela porra que foi depositada por Tiago em sua boquinha. Devido ao tesão que senti olhando aquela cena, também tive minha primeira gozada da noite naquele momento, encharcando minhas mãos de porra. Após lavar a boca no banheiro, minha esposa retornou com uma cara de satisfação e fui ao encontro dela, agarrei-a e lhe dei um gostoso beijo de língua podendo ainda sentir o gosto e o cheiro de porra de outro macho em sua boca. Minha esposa não satisfeita foi para cima de Tiago novamente e retornei a me sentar, para ver as próximas cenas da foda dela com outro macho. Minha esposa caiu de boca novamente no pau de Tiago, enquanto ele a lambia desesperadamente sua bunda e sua bucetinha, porém, como tinha acabado de gozar teve um certa dificuldade para manter a próxima ereção. Minha esposa chupava muito aquele pau, sempre olhando para mim com uma cara sacana como se tivesse me chamando de corno manso. Aquilo me dava um prazer ao extremo, porém, a demora de Tiago para ficar com o pau ereto de novo, me fez sair do local para fumar um cigarro. Após o retorno, vi Tiago metendo novamente na boceta de minha esposa e aquilo foi me excitando novamente. Passado um tempo da minha esposa fodendo com aquele homem em nossa cama, tive umas das melhores cenas da noite, que foi quando vi minha esposinha toda aberta e de quatro para aquele macho gemendo igual uma putinha e levando toda aquela rola de Tiago dentro do cuzinho. Tanto que não me aguentei e fui ajudar aquele comedor com o rabinho de minha esposa, e passei abrir aquele cuzão para ele socá-lo cada vez mais forte. Minha esposa urrava de prazer e eu quase delirava vendo minha querida e amada esposa sendo enrabada por outro macho. Logo em seguida ele tirou o pau de dentro daquele cuzão e passou a socá-la novamente na boceta até não aguentar, tirar seu pau da boceta e gozar em sua barriguinha. Não só ambos caíram na cama, como eu também cai junto com eles. Um sensação quase que inexplicável e que poucos conseguem sentir. Ela se limpou com uma toalha e deitamos os 3 juntos como se fosse uma relação a 3. Entre esses momentos em várias vezes ajudei meu colega em certos momentos socando o pau na bocetinha gostosa da minha esposa enquanto ela o chupava ou vice-versa, beijando-a e em muitas ocasiões, sentindo o gosto do pau daquele macho que a comia por tabela, ou então, com pena do mesmo, apenas dando dicas de como ela gozaria mais rápido, sendo assim menos trabalhoso para ele. Ao final, vi aquele macho lamber muito e masturbar muito minha esposa, ao ponto de vê-la dar uma grande gozada na cara de nosso convidado. Ao final de tudo, foi muito boa nossa experiência, onde ela teve quatro orgasmos, eu quatro gozadas e ele três… Apesar de ter sido muito satisfatório, sabemos que o nervosismo atrapalhou muito, mas que será muito melhor quando este não estiver presente. Foi um coisa nova e muito gostosa, tanto para mim quanto para minha esposa. Agradeço muito a ela por atender meu pedido e por se satisfazer com o mesmo.

Mais lidas