Mentiras que você pensava ser verdade

Avalie

Grande parte das pessoas passa muito tempo conectado na rede seja para trabalhar, estudar, se informar ou até mesmo, se comunicar. A internet levou a informação de forma muito mais rápida a uma quantidade maior de pessoas e isso ninguém pode negar. Porém, a pressa em passar para frente aquela notícia bombástica que você acabou de ler na tela do seu computador, tablet ou smartphone, pode fazer você entrar na lista dos que caíram nas farsas da rede, isso por falta de pesquisas e consultas para verificar a veracidade daquela informação.

O jornalista Edgard Matsuki, que atualmente trabalha na EBC e no UOL, criou um site chamado boatos.org. Lá, ele e sua equipe apuram notícias que foram inventadas por algum motivo, ou então, passaram despercebidas por outros meios de comunicação e provam que muito do que rola na internet, é falso.

Histórias como a de Selton Mello no elenco da série internacional Game Of Thrones, a de que o filho de Lula seria o dono da empresa Friboi e até a aprovação da bolsa prostituição na Câmara estão sendo desmentidas por lá.

 

Foto: Twin Design e Shutterstock

Foto: Twin Design e Shutterstock

 

Casos falsos

Uma notícia bastante compartilhada nas redes sociais nas últimas semanas é um possível pronunciamento da presidente Dilma em relação ao conflito entre Israel e o Hamas. Ela teria dito que a melhor forma de acabar com esse problema entre o país e a organização seria separá-los, tendo oferecido, inclusive, o estado do Acre para que os palestinos fizessem um país. O texto dizia também que eles poderiam ser inclusos em programas brasileiros como o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida. Pode parecer bizarro, mas teve gente que realmente compartilhou isso pensando ser verdade. É mentira!

Outro caso envolvendo Dilma Rousseff surgiu depois dela ter participado da inauguração do Templo do Salomão, em São Paulo, no último dia 31. Circularam por aí notas afirmando que o bispo Edir Macedo teria doado R$ 10 milhões para a campanha dela à reeleição, fato que foi desmentido pela própria Igreja Universal em nota.

Um outro caso falso, um dos mais famosos da rede, é a aprovação da Bolsa Prostituição, que previa um valor de R$ 2 mil mensais para garotas de programas se cuidarem e oferecerem um serviço melhor a seus clientes. Também é mentira!

Como verificar

Antes de compartilhar qualquer notícia nas redes sociais, vale fazer uma pesquisa e descobrir se as informações que estão ali são verdadeiras. Além de ficar bem informado sobre os assuntos da atualidade, você não vai passar para frente mentiras que podem denegrir outras pessoas ou então influenciá-las a votar num candidato corrupto, por exemplo. Abaixo, listamos alguns sites que servem como fonte de pesquisa:

Notícias em geral

Normas aprovadas na Câmara dos Deputados

Gastos do Governo

Revista Fórum

Pragmatismo Político

Blog do Sakamoto

Mais lidas