Compulsão por compras: descubra quando o hábito se torna um problema

Avalie
Hábito compulsão por compras

Foto: Raphael Dias / TV Globo

 

Que mulher não gosta de comprar? Roupas, sapatos, bolsas. Uma infinidade de produtos ali, esperando alguém que os leve para casa. O hábito é uma delícia, mas quando passa dos limites se torna uma doença. A compulsão por compras é conhecida como “Oniomania”, que significa “loucura de comprar”, e nada mais é do que a aquisição descontrolada de novos itens. As compras feitas por compulsão costumam ser desnecessárias e repetidas, tornando a pessoa totalmente incapaz de controlar os gastos financeiros. Esse assunto tem sido trazido à tona pela personagem Heloísa, de Salve Jorge. Apesar de bem sucedida e, aparentemente, segura de si, a personagem nunca chega em casa sem ter comprado algo novo.

 

 

 

 

 

Por que acontece a Oniomania?

Segundo a psicóloga Leila Canettieri, “as compras são uma tentativa da pessoa lidar e aliviar emoções negativas como angústia, tristeza, depressão, ansiedade, frustração, entre outros”. Ela explica ainda que o desejo de possuir, de ter e de poder realizar suas vontades é fundamental para o desenvolvimento do problema, já que a pessoa sofre tanta pressão psicológica por não se sentir realizada que acaba tendo o momento de compra como a única forma de sentir prazer ao longo do dia. Comprar acaba provocando um conforto passageiro, apenas um alívio, mas não resolve a fonte do problema.

 

Sentir que “merece” ou “precisa” sem necessidade é um começo

Logo antes da compra, quando se está cara a cara com o produto, um sentimento de excitação se forma e consome boa parte da atenção e do pensamento da pessoa, que acaba utilizando as famosas desculpas “eu mereço” e “eu preciso” para justificar o gasto. Uma vez que a compra é feita, vem a sensação de alívio. Mas, ao se deparar com a idéia do descontrole ou com as condições financeiras reais, vergonha e culpa são as próximas sensações a serem vivenciadas fortemente.

Além disso, “como o transtorno é crônico e repetitivo, quem o sofre tem dificuldade em interromper o comportamento e acaba criando grandes dívidas, fazendo com que o comprador perca a dimensão sobre seus gastos e acabe expondo sua própria reputação”, alerta a psicóloga.

hábito compulsão por compras

Foto: Shutterstock / Getty Images

Como evitar o vício

Leila afirma que “como em qualquer vício, o primeiro passo é reconhecer a existência do problema e a necessidade de procurar ajuda”. No mundo em que vivemos, poder comprar coisas mostra para a sociedade que você é bem sucedido e tem uma condição financeira estável. Ninguém vê o hábito de comprar com maus olhos, além de ser possível viver sem comprar nada. Porém, há maneiras de obter um autocontrole com a ajuda e acompanhamento de um psicólogo ou em grupos de auto-ajuda, que podem ser conciliados com medicamentos que devem ser usados de acordo com orientação médica.
Dicas para evitar gastos desnecessários

Se você acha que está começando a passar dos limites, Leila deixa algumas dicas para evitar gastos desnecessários.

-Ande apenas com o dinheiro que precisa para passar o dia.

-Não ande com cartão de crédito e cheques. Saia com eles apenas se sabe que precisará utilizá-los.

-Pense bem antes de fazer uma compra: eu realmente preciso disso e posso pagar por isso?

-Gostou de alguma coisa? Saia da loja, dê uma volta e retorne depois. Muitas vezes o desejo passa só de ficar longe do produto.

-Deixe alguém da família assumir o controle das finanças por um tempo, assim você evita criar dívidas que não terá como pagar e não coloca em risco a saúde financeira das pessoas que moram com você.

Mais lidas