Plástica facial

Conheça as técnicas que rejuvenescem sem deixar um aspecto artificial

Qualquer mudança no rosto deve ser muito bem feita para não soar falso nem descaracterizar a identidade da pessoa. Pensando nisso, a cirurgia plástica facial vem se especializando em intervenções cirúrgicas pontuais e suaves, mas com efeitos rejuvenescedores imediatos. O cirurgião plástico Fausto Bermeo, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), explica as possíveis correções indicadas conforme a queixa da paciente.

Fim à papada
Por conta do envelhecimento ou pelo excesso de peso, algumas pessoas perdem a linha que marca o limite entre o pescoço e o rosto. “A borda da mandíbula não fica delineada e o pescoço, encurtado. Nesses casos, em pacientes com menos de 40 anos, indicamos a lipoescultura facial”, afirma Bermeo.

Como funciona: a lipoescultura facial é feita com minicânulas que sugam a gordura. A cirurgia dura 40 minutos e requer anestesia local e sedação. Nos três primeiros dias seguintes à operação, a paciente deve usar uma cinta facial; posteriormente, pode voltar às suas atividades rotineiras.

Falta de volume
Com o decorrer dos anos, o rosto tende a murchar: “as estruturas da pele se desfazem e vão caindo: perde-se a borda mandibular, as bochechas e o volume dos lábios, o que dá um aspecto de velho”, descreve o médico. Esse quadro exige a injeção de líquidos para preencher a pele do rosto, podendo ser a gordura do próprio paciente ou o ácido hilaurônico.

Como funciona: o preenchimento com ácido hilaurônico é de recuperação mais rápida que a injeção de gordura, uma vez que esta provoca duas cicatrizes (uma de onde se retira a gordura e outra onde ela será colocada). Mas, em ambos os casos, as injeções são feitas com agulhas finíssimas que exigem apenas anestésicos tópicos. A paciente acaba de fazer e já pode voltar para casa sem nenhuma restrição.

Pele caída
Em pacientes com mais de 50 anos, as sobras de pele no rosto pedem mais que uma injeção de gordura ou ácido. “É necessário remover a pele com uma cirurgia abrangente”, diz ele, referindo-se ao procedimento de retração ou lifting facial.

Como funciona: cânulas muito finas são posicionadas sob a pele, criando túneis que dão início a um processo de cicatrização. Como conseqüência, o tecido vai se retraindo, ou seja, estica. “Ocorre um rejuvenescimento bastante natural porque a pele não fica muito esticada”, afirma Bermeo.

Nada de sósias
Quem não gostaria de ter uma boca a la Angelina Jolie ou um narizinho arrebitado como o de Ana Paula Arósio? No entanto, exigências como essas são incomuns, segundo Bermeo: “tenho a sorte de ter pacientes muito esclarecidas”. Mas o cirurgião confessa que enfrenta saias-justas com mulheres que querem mudanças das quais ele discorda. “Tenho uma conversa longa no consultório, na qual a paciente permite que eu a conheça e ela me conhece também. É preciso ter essa relação de confiança”, explica ele, que prefere perder a cliente a fazer uma intervenção descabida.

Texto: Larissa Rosseto
Fausto Bermeo é cirurgião plástico.

Mais lidas