Verdadeira dieta detox

Dieta detox

“Por que faço dieta e não emagreço?”. Uma das respostas possíveis é estar com o organismo sobrecarregado de substâncias danosas, seja por exposição excessiva a toxinas ou pela incapacidade de eliminá-las. A solução começa com uma dieta desintoxicante ou detox, que limpa seu organismo, queima gordura e emagrece até 10kg por mês. O segredo está em usar alimentos naturais que dão uma forcinha para a eliminação de toxinas.

Faxina urgente!

– A exposição a substâncias tóxicas provenientes de plásticos (que passam aos alimentos pelos potes e filme para vedar), poluição do ar, agrotóxicos, aditivos alimentares (corantes, conservantes, etc), álcool e alguns medicamentos prejudica o bom funcionamento do organismo.
– “Essas substâncias deixam de ser eliminadas de forma eficiente quando a alimentação não fornece nutrientes e fitoquímicos necessários a esse processo”, explica a nutricionista Flávia Cyfer.
– As consequências são alterações na tireoide e no metabolismo do fígado, aumento do risco de desenvolver câncer, problemas de fertilidade, irregularidades hormonais (que levam ao ganho de peso), alergia e cansaço.

Como funciona

– A verdadeira dieta detox contém somente alimentos naturais (os industrializados estão proibidos) e, de preferência, orgânicos.
– “Os objetivos são impedir a entrada de toxinas e eliminar as que já estão armazenadas no corpo, retirar alimentos inflamatórios (glúten, laticínios, açúcares, etc.) e potencializar o sistema de desintoxicação com alimentos que têm essa ação, como broto de brócolis, alho, casca de limão, diversas ervas, chás terapêuticos e óleo extravirgem”, destaca a nutricionista.

Essa dieta pode ser feita uma vez por semana, em dias seguidos ou alternados, por no máximo um mês. Consulte um nutricionista. Cuidado: falsas dietas detox estimulam o jejum prolongado, o que prejudica tanto a saúde quanto o emagrecimento.

Sinais de organismo intoxicado

• Enxaqueca • Cansaço excessivo • Problemas digestivos • Alergias • Depressão • Memória fraca • Retenção de líquidos • Hipersensibilidade (a produtos de limpeza, maquiagem, metais, odores, fumaça, perfumes, medicamentos, etc.) • Infertilidade • Doenças autoimunes • TPM • Estresse emocional • Sonolência após alimentação • Constipação

10 motivos para fazer a detox

1. Perda de peso: “cada organismo tem um grau de intoxicação e responde de uma maneira, mas em geral a perda varia entre 4 e 10kg por mês”, afirma Flávia.
2. Acelera o metabolismo: várias toxinas reduzem os hormônios da tireoide, fazendo com que o metabolismo fique mais lento.
3. Fortalece a imunidade, prevenindo diversas doenças.
4. Queima a gordura e combate a celulite.
5. Melhora o humor, a memória, o raciocínio e a disposição.
6. Deixa pele e cabelos mais bonitos.
7. Prepara o organismo para um programa de emagrecimento.
8. Promove o equilíbrio hormonal: há algumas toxinas que afetam os hormônios ligados ao aumento de peso e estresse.
9. Controla o apetite: determinadas toxinas bloqueiam os sinais de saciedade, dando a sensação fome o tempo todo.
10. Diminui rapidamente o inchaço: a intoxicação faz com que muito líquido seja retido.

Cardápio detox

Desjejum: 1 xícara de chá de cavalinha quente com 1 colher (chá) de gengibre fresco ralado

Palavra da nutricionista: “a cavalinha é muito diurética, elimina líquidos e toxinas. Já o gengibre tem um forte efeito anti-inflamatório, ajudando no emagrecimento e protegendo contra substâncias provenientes da mobilização de toxinas”.

Café da manhã: suco de romã com frutas vermelhas (bata no liquidificador por 3 minutos a polpa e as sementes de 1 romã, 1 e 1/2 copo de água, 1 xícara (chá) de cerejas, framboesas, uvas roxas e morangos (todas misturadas ou apenas de um tipo) e 1 punhado de salsinha fresca). Coe e beba imediatamente.

Palavra da nutricionista: “a romã é um dos alimentos mais antioxidantes, melhora a celulite, rugas e flacidez, diminui manchas na pele e previne contra câncer. As frutas vermelhas são riquíssimas em antocianina, que faz uma varredura de toxinas. A salsinha ajuda na eliminação de líquidos”.

Almoço: um prato fundo de caldinho de missô (pasta de soja fermentada da culinária japonesa), feito com 1 colher (sopa) de missô (comprado pronto) dissolvido em 300ml de água quente s salada de quinoa com lentilhas, rúcula e agrião, frango desfiado, rabanete, nabo, tomate e aspargos frescos, temperada com azeite extravirgem, manjericão fresco e pimenta-do-reino

Palavra da nutricionista: “o missô ajuda na digestão, reestrutura a flora intestinal e contém todos os aminoácidos requeridos na dieta detox. Rúcula e agrião são fundamentais para estimular o fígado a executar a desintoxicação. A quinoa tem todos os aminoácidos de que precisamos”.

Lanche da tarde: salada de frutas com farofa de castanhas (trituradas no liquidificador)

Palavra da nutricionista: “só não pode amendoim, que além de não ser uma oleaginosa, ainda é repleto de toxinas de fungos”.

Jantar: sopa de pimentão vermelho com bifum

Palavra da nutricionista: “a sopa de pimentão vermelho não engorda nada e é cheia de antioxidantes e vitamina C (necessários para o fígado). O bifum é um macarrãozinho bem fininho de arroz, que não tem glúten e, por isso, não tem caráter inflamatório”.

Ceia: beba 1 copo de suco diurético, feito com 2 maçãs, 2 talos de aipo, 1 cenoura e 1 pepino batidos ou centrifugados.

Mais lidas