Segunda gravidez: como fazer para evitar o ciúme do primogênito

A chegada de um irmãozinho pode modificar completamente a vida de uma criança. Desde a gestação, a mãe deve levar em conta que o segundo filho transforma a vida do primogênito, alterando a rotina da casa. Para evitar conflitos e crises de ciúme, é necessário tomar alguns cuidados para que a criança pequena fique tranquila e saiba lidar com o novo membro da família. Veja dicas da psicóloga Marta Bitetti, Diretora do Colégio Ápice Educação Infantil, e saiba como preparar o primogênito para receber o irmãozinho ou irmãzinha.

Como dar a notícia

Segundo a psicóloga, os pais devem contar para o filho de forma alegre e natural: “Primeiramente a notícia deve ser dada com entusiasmo e alegria, transmitindo à criança o prazer que todos terão com a sua chegada”.

Ela ainda afirma que é necessário ensinar para a criança o que é a gravidez: “Explicar a gravidez de uma forma simples, de acordo com o entendimento da criança, também ajudará a perceber o processo. Por exemplo, dizer que o bebê vai demorar um pouquinho para chegar porque ele ainda vai ter que crescer e ficar fortinho antes de nascer. Desta forma poderá prevenir que a ansiedade se instale no pequeno”.

 

Menina ouvindo a barriga da mãe grávida

Foto: Thinkstock/Getty Images

Durante a gestação

A especialista afirma que a criança deverá participar do dia a dia da mãe, acompanhando o crescimento da barriga. “A criança poderá participar desta gestação sentindo a evolução do crescimento da barriga da mamãe, acompanhando a mãe em algumas consultas e exames de ultrassom e, ainda, ajudando a escolher o enxoval, móveis e outros pertences para o futuro irmãozinho”, conta Marta.

Ela ainda explica que a criança pode mudar seu comportamento durante a gravidez da mãe: “Algumas alterações no comportamento da criança já podem ser percebidas desde a gestação, como ficar mais sensível e ‘grudada’ na mamãe. Quando o bebê nascer tudo pode piorar, porque ali está, finalmente, o que antes era objeto apenas da imaginação”.

Hora do parto

Chegou o grande dia do nascimento: e agora? Como explicar para o filho que o irmão está a caminho? “Prepare a criança para a hora do parto, quando a mãe ficará afastada por uns dias, explicando como será este momento, com quem ela ficará e quando ela verá o bebê”, ensina a especialista.

Para evitar transtornos, a psicóloga aconselha que os pais não mudem a rotina da criança inesperadamente: “Evite fazer mudanças radicais na rotina da criança próximo ao nascimento e pelo menos três meses depois, como, por exemplo, matriculá-a na escola ou mudar de casa. O nascimento do irmãozinho já é uma mudança e tanto na vida da criança”.

O bebê chegou. E agora?

É preciso ficar atenta às mudanças e observar o comportamento do primogênito, que pode tornar-se um pouco mais agressivo. “Podem surgir comportamentos agressivos, manhas, choros constantes por qualquer motivo e até mesmo retrocesso no desenvolvimento, como voltar a chupar chupeta, fazer xixi na calça ou na cama e até fala infantilizada, pois a criança agora terá de repartir o que antes era só dela, como a atenção dos pais, os brinquedos e outras coisas por causa de  uma outra criança”, pontua Marta.

Educando o primogênito

O essencial com a chegada do bebê é não deixar o primeiro filho de lado, dividindo a atenção entre os dois pequenos.  “Para minimizar o sofrimento da criança, os pais e outras pessoas de seu convívio devem  continuar dando atenção a ela, valorizando ainda mais seus aspectos positivos e inserindo-a na nova rotina de modo que não se sinta desvalorizada ou rejeitada. Essas atitudes lhe trarão confiança e segurança, sentimentos que favorecem a aceitação do bebê”, aponta a psicóloga.

Ela também destaca que é importante dar atenção em todas as ocasiões e não somente quando a criança fizer algo de errado: “É bom evitar dar atenção somente quando surgir comportamentos inadequados, pois assim a criança entenderá que tendo certas atitudes, mesmo que negativas, conquistará sua atenção e assim repetirá constantemente esses comportamentos”.

Elogiar os feitos positivos da criança pode fazer com que ela se sinta melhor, evitando o ciúme do irmão: “Elogiando e enaltecendo seus comportamentos positivos, estará transmitindo a ela que o seu amor não foi perdido em detrimento do irmão e sim que este amor pode ser dividido, pois o bebê não veio para tirar o seu lugar na família e sim trazer prazeres que, aos poucos, ela descobrirá por si mesma”, conclui a diretora.

Consultoria: Marta Bitetti – Psicóloga e Diretora do Colégio Ápice Educação Infantil
www.apiceeducacaoinfantil.com.br

Tags: ,

Mais lidas