Personagens marcantes de José Wilker

O Brasil acordou com uma triste notícia na manhã deste sábado, 5 de abril. Morreu, aos 66 anos, o ator José Wilker, um dos artistas mais atuantes da história da TV e do cinema brasileiros. O ator estava em sua casa em Ipanema (Rio de Janeiro) com a namorada, Cláudia Montenegro, quando teve o que se suspeita ser um infarto fulminante.

José Wilker nasceu em Juazeiro do Norte, Ceará, no dia 20 de agosto de 1946. Foi para o Rio de Janeiro em 1967 cursar faculdade de sociologia, porém abandonou o curso para se dedicar integralmente à carreira de ator. Para celebrar a vida deste grande ator, o Papo Feminino traz uma galeria com os principais personagens vividos pelo ator. Confira:

Zelito -

josé wilker como Zelito - "Bandeira 2" (1970)

Foto: TV Globo

José Wilker emplacou sua carreira no Teatro em 1967, quando se mudou do Recife para o Rio de Janeiro. Depois de ganhar vários prêmios, sendo um deles o Molière de Melhor Ator por uma peça em 1970, Dias Gomes o convidou para sua estreia na TV na telenovela Bandeira 2, da Rede Globo. Wilker viveu o personagem Zelito, um rapaz fantasioso que passava os dias pintando quadros. 

Bandeira -

josé wilker como

Foto: TV Globo

Seu trabalho seguinte (em 1971) foi marcante não tanto pelo personagem em si, mas por um episódio curioso: a novela "O Bofe", de seu amigo Bráulio Pedroso, seguia um estilo nonsense que não agradou o público. Com o afastamento de seu amigo deste trabalho, Wilker pediu demissão da TV e seu personagem, o hippie Bandeira, morreu de um ataque de risos. 

Atílio -

josé wilker como Atílio - "Cavalos de Aço" (1973)

Foto: TV Globo

Voltou à TV em 1973 na estreia do autor Walther Negrão no horário nobre com "Cavalos de Aço". Na trama, José Wilker viveu o personagem Atílio. 

Mundinho -

josé wilker como Mundinho - "Gabriela" (1975)

Foto: TV Globo

Em 1975, viveu um dos seus grandes papéis na TV, com o protagonista Mundinho na primeira adaptação de "Gabriela", um clássico da história das telenovelas com Sônia Braga, Nívea Maria, Gracindo Júnior e Ary Fontoura. Anos mais tarde, Wilker participaria do remake vivendo o coronel Jesuíno Mendonça, famoso pela expressão "quero lhe usar".

Valdomiro Vadinho -

josé wilker como Valdomiro Vadinho - "Dona Flor e Seus Dois Maridos" (1976)

Em 1976, José Wilker teve seu primeiro papel de destaque no cinema com Valdomiro "Vadinho" Santos Guimarães, em "Dona Flor e Seus Dois Maridos". Vadinho era marido de Dona Flor, mas morreu precocemente devido a vida de exageros e farra que levava. A mulher, porém, com saudades, dá um jeito de trazer Vadinho de volta em espírito para que ele satisfaça seus maiores desejos. Dona Flor e seus dois maridos foi recordista de público no cinema brasileiro por 34 anos.

Conde de Valadares -

josé wilker como Conde de Valadares - "Xica da Silva" (1976)

Foto: Divulgação

Também em 1976, José Wilker engatou mais um papel no cinema em "Xica da Silva", um filme dirigido por Carlos Diegues e baseado no livro homônimo de João Felício dos Santos. A trama conta a história romanceada da escrava Chica da Silva e ganhou prêmios de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Atriz com Zezé Motta.

Rodrigo -

josé wilker como Rodrigo - "Anjo Mau" (1976)

Foto: TV Globo

Em 1976, viveu o carismático Rodrigo na primeira versão de "Anjo Mau", de Cassiano Gabus Mendes, em que fez par romântico com Susana Vieira.

Lorde Cigano -

josé wilker como Lorde Cigano - "Bye Bye Brasil" (1979)

Foto: reprodução

Em 1979, também no cinema, José Wilker interpretou Lorde Cigano, um dos personagens principais de "Bye Bye Brasil", dirigido por Carlos Diegues. O filme conta a história de três artistas mambembes que cruzam o país com a Caravana Rolidei, fazendo espetáculos para o setor mais humilde da população brasileira. A trama é considerada uma das produções mais importantes da década de 70.

Roque Santeiro -

josé wilker como Roque Santeiro - "Roque Santeiro" (1985)

Foto: TV Globo

Em 1985, José Wilker foi o protagonista de uma das novelas de maior sucesso do Brasil, "Roque Santeiro", junto com Regina Duarte, Lima Duarte e grande elenco. A novela marcou época devido aos bordões e à sátira à exploração política, tendo sido alvo de censura em 1975. 

Tenório Cavalcanti -

josé wilker como Tenório Cavalcanti -"O Homem da Capa Preta" (1986)

Foto: Divulgação

Já em 1986, José Wilker deu vida a Tenório Cavalcanti no longa "O Homem da Capa Preta", dirigido por Sérgio Rezende. O filme é do gênero biográfico e fala sobre a vida de um político de Duque de Caxias chamado Tenório Cavalcanti, que costumava portar uma metralhadora apelidada de Lurdinha. A trama foi premiada no Festival de Gramado e no Festival de Moscou, na Rússia.

Antônio Conselheiro -

josé wilker como Antônio Conselheiro - "Guerra de Canudos" (1997)

Foto: Divulgação

Em 1997, José Wilker interpretou Antônio Conselheiro em "Guerra de Canudos", mais um clássico do cinema nacional. A trama é baseada no episódio real da história brasileira, a Guerra de Canudos, na qual o exército brasileiro enfrentou os integrantes de um movimento religioso liderado por Antônio Conselheiro. O filme foi orçado em 6 milhões de dólares e demorou quase quatro anos para ser lançado.

Giovanni Improtta -

josé wilker como Giovanni Improtta - "Senhora do Destino"

Foto: TV Globo

Em "Senhora do Destino" (2004), outro grande sucesso da história das telenovelas, José Wilker contracenou novamente com Susana Vieira e Renata Sorrah ao interpretar o cômico ex-bicheiro Giovanni Improtta. O personagem lançou vários bordões como "felomenal" e "o tempo ruge e a Sapucaí é grande". Na época, Wilker descreveu o personagem como "uma comédia sobre o Rio". 

Juscelino Kubitschek - JK (2006)

Juscelino Kubitschek - JK - josé wilker

Foto: TV Globo

Um dos papéis mais marcantes de Wilker foi em 2006, quando viveu o presidente Juscelino Kubitschek na minissérie "JK".

Herbert - Amor à Vida (2013)

herbert e gina amor à vida carol kasting e josé wilker

Foto: TV Globo

O último papel de Wilker na TV foi em "Amor à Vida", em 2013, onde interpretou o médico e diretor administrativo do hospital San Magno, Herbert. Seu personagem se envolve com Gina, interpretada por Carolina Kasting. 

Coronel Jesuíno - "Gabriela" (2012)

josé wilker como coronel jesuíno em gabriela 2012

Foto: TV Globo 

Em 2012, José Wilker voltou ao mundo de "Gabriela" mais uma vez. No remake, ele interpretou o machista Coronel Jesuíno, que ficou famoso pelo bordão dito quando desejava ter relações sexuais com a esposa: "quero lhe usar". 

Além de atuar, José Wilker também era diretor, apresentador e escreveu para diversas revistas e jornais.

Tags:

Mais lidas