Os benefícios do chá-mate

Os benefícios do chá-mate

Foto: Thinkstock/Getty Images

Ele pode ser tomado quente ou frio. Serve como ingrediente para diferentes pratos e tem um gostinho todo especial. Mas as maravilhas do chá-mate não param por aí: um estudo realizado na Universidade Federal de Santa Catarina comprovou que os principais efeitos da erva no organismo são a redução dos níveis de colesterol e o combate aos radicais livres. Sem contar que essa plantinha tipicamente brasileira pode ajudar a diminuir o nível de açúcar no sangue e até eliminar alguns quilinhos que estão sobrando. Mas atenção: para que você sinta os benefícios da erva-mate, é preciso obedecer ao consumo de 1 litro de chá por dia, que deve ser dividido em três xícaras e tomado dez minutos antes das principais refeições.

Como tudo começou
O pesquisador Edson Luiz da Silva, do Departamento de Análises Clínicas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), buscou artigos sobre a erva-mate e constatou que alguns relatavam sobre o poder antioxidante da planta. Pensando nisso, resolveu verificar o efeito dessa propriedade na aterosclerose, uma doença inflamatória crônica, que acomete os vasos sanguíneos. Edson explica que o primeiro objetivo do estudo foi mostrar que a ingestão da erva verde (chimarrão) ou da tostada (chá-mate) contribuía na redução de fatores de risco para as doenças cardiovasculares, bem como para diabetes, colesterol alto e hipertensão. “O peso corpóreo foi igualmente avaliado na pesquisa, porém, como objetivo secundário. E, de fato, para alguns participantes houve diminuição do peso”, ressalta.

Formas de consumo
A erva-mate pode fazer parte do seu dia a dia como chimarrão (preparado com água quente e folhas secas e moídas da erva verde), tererê (preparado com água fria e folhas secas e moídas da erva verde) e chá-mate (preparado com água quente e folhas secas e moídas da erva tostada). “Com base nos resultados de nossos estudos, não há diferença entre os dois tipos de mate. Ambos têm composição química semelhante e forneceram resultados similares para as pessoas”, afirma o pesquisador Edson Luiz.
Aliás, ele garante que a erva de saquinho, aquela que pode ser comprada em embalagens fechadas no supermercado, é igualmente boa para o consumo. No entanto, ele alerta que o gosto é mais fraco se comparado às folhas in natura.

Já a nutricionista Carolina Baccei, de São Paulo (SP), sugere o consumo da erva-mate na sua forma mais natural. “As ervas de saquinho nem sempre são uma boa opção, pois não podemos garantir que lá dentro possua somente a erva. Algumas empresas misturam outros ingredientes, fazendo com que seus efeitos não sejam realmente eficientes. Podemos até encontrar açúcar nesses produtos”, alerta.

É antioxidante
A atividade antioxidante foi uma das primeiras a ser verificada durante a pesquisa. Para compreender melhor sua ação e seus benefícios para a saúde, você precisa saber o que é um antioxidante. Trata-se de uma molécula que inibe a oxidação de outras moléculas do organismo. Essa oxidação pode produzir radicais livres em excesso que, quando atingem as células, causam seu envelhecimento e até sua morte, provocando diversos males como enfraquecimento do sistema imunológico, cataratas, glaucoma, artrite, dores na lombar, enfisemas, acidentes vasculares cerebrais, algumas afecções reumáticas, mal de Alzheimer, Parkinson, problemas cardiovasculares e a própria aterosclerose. Sem contar que os radicais livres aceleram o envelhecimento com manchas na pele e rugas, e prejudicam o emagrecimento saudável.

É rico em nutrientes essenciais para a saúde
Além da ação antioxidante da erva-mate, foi detectado o seu efeito hepatoprotetor, ou seja, que favorece as funções do fígado e atua como digestivo. Vale ressaltar que o mate também possui vitaminas e sais minerais como vitamina A, B1, B2, C e E, magnésio, cálcio, ferro, sódio, potássio, manganês, fosfato, entre outros. Juntas, essas substâncias favorecem o bom funcionamento do organismo e agem no controle de determinadas doenças.

Tem ação diurética
Já as xantinas são responsáveis pela ação diurética da planta. “Elas relaxam os vasos sanguíneos periféricos, reduzindo a pressão sanguínea. A diminuição da pressão arterial ou a melhora da chamada ‘reatividade vascular’ – contração e relaxamento das artérias – é devida, também, ao efeito dos compostos fenólicos presentes no mate”, explica Edson.

Diminui a taxa de colesterol e de glicose no sangue
Os resultados da pesquisa mostraram que a erva-mate tem propriedade hipocolesterolêmica e hipoglicêmica, isto é, a planta age a favor de quem precisa manter os níveis de colesterol e de glicose sob controle. “O efeito hipocolesterolêmico e hipoglicêmico da erva deve ser atribuído às substâncias chamadas saponinas e ácidos fenólicos, provavelmente atuando em conjunto e, inclusive, por mecanismos bioquímicos distintos”, relata o pesquisador.

Leia a bula!
Como a erva-mate contém cafeína, seu consumo é contraindicado para pessoas que sofrem com problemas estomacais como gastrite e úlcera. Além disso, quem tem dificuldade para dormir à noite deve evitar beber chá-mate depois do jantar, pois pode favorecer o quadro de insônia. “Outros efeitos colaterais da planta são irritação da mucosa da boca, taquicardia, diarreia e aumento da pressão arterial”, alerta Carolina Baccei, nutricionista de São Paulo (SP).

 

Consultoria: Edson Luiz da Silva, doutor e pesquisador do Departamento de Análises Clínicas, da Universidade Federal de Santa Catarina ) (48) 3721-9000;

Carolina Baccei, nutricionista de São Paulo (SP) ) (11) 7337-2955;

Ana Paula Klinkowström Bruzetti, farmacêutica proprietária da Medicinalis, de São Paulo (SP) ) (11) 2148-7606

 

 

Revista Dieta Fácil

 

 

Para conferir mais dicas,  adquira a revista Dieta Fácil – já nas bancas!

 

 

 

 

 

 

Mais lidas