Namoro no trabalho

Namoro no trabalho

Foto: Thinkstock/Getty Images

Nada mais comum do que se envolver num relacionamento amoroso com um colega de trabalho. Será que é saudável se envolver com alguém que trabalha ao seu lado e convive com as mesmas pessoas todos os dias? Namorar alguém do trabalho pode trazer consequências para a vida profissional? A mediadora de conflitos Suely Buriasco responde essas perguntas e dá dicas para quem não sabe o que fazer nessa situação:

Consequências

Quando a pessoa está solteira e livre, é mais fácil se apaixonar por um colega de trabalho. Suely conta que isso não é errado: “Quando se é descomprometido é difícil evitar um relacionamento amoroso no trabalho, afinal é nesse ambiente que as pessoas costumam passar mais tempo. Assim existe uma chance de unir o útil, que é o trabalho, ao agradável: ou seja, conviver diariamente com a pessoa amada. Entretanto, corre-se sempre o risco das consequências não serem saudáveis se o casal não se redobrar em cuidados para que a relação amorosa não se destaque mais do que o profissionalismo exigido nesse ambiente”.

Como se portar no trabalho

Ver a pessoa amada todos os dias pode dar aquela vontade de fazer um elogio, trocar carinhos ou até mesmo conversar sobre assuntos pessoais. Porém, isso deve ser evitado para que não ocorram situações desconfortáveis para os outros colegas e prejudicar o desempenho no trabalho. “A discrição é fundamental. Mesmo que os chefes e os colegas saibam do namoro, nunca deixar que o assunto tome conta do ambiente de trabalho, pois existe grande chance de se tornar tema de fofocas entre os colegas, o que poderá prejudicar o casal profissionalmente”, explica Suely. Ela ainda fala sobre os apelidos carinhosos em público: “Uma boa dica é jamais discutirem problemas do relacionamento no trabalho e nada de demonstrações ostensivas de carinho, como beijinhos, apelidos e etc. Todo cuidado é pouco, incluindo visitas excessivas um na mesa do outro ou troca de e-mails pessoais durante o expediente, que podem ser considerados motivos de demissão. O ideal é agirem com bom senso”.

Amor pelo chefe

Não tem problema se apaixonar pelo chefe, já que muitas vezes é complicado evitar os sentimentos. Se forem duas pessoas descomprometidas, não é um problema sério, a menos que o casal não se porte corretamente no local de trabalho. “Quando um dos parceiros é o chefe do outro, os cuidados devem ser redobrados para evitar qualquer tipo de indisposição junto à equipe. Comentários em relação a promoções de funcionárias que namoram executivos das empresas são muito comuns, mas podem ser ofuscados diante do profissionalismo que o casal demonstrar. Portanto, tudo vai depender de como os dois vão se portar. Uma dica é não permitir qualquer tipo de concessão por conta do namoro com o chefe, pelo contrário, melhor ser mais atento com horários e com a produtividade”, aponta a educadora.

Erros inaceitáveis

Alguns casais não sabem separar relacionamento amoroso da relação profissional. Isso pode prejudicar e comprometer a imagem e o desempenho dos dois na empresa. “Embora seja compreensivo que pessoas apaixonadas se sintam atraídas e desejam manifestar um ao outro seus sentimentos, nada justifica que ultrapassem os limites do bom senso. Ambiente de trabalho não é lugar para esse tipo de exposição”, complementa Suely. Ela também ensina que evitar o ciúme é essencial: “Infelizmente, é muito comum sentir ciúme dos colegas, prejudicando não apenas o relacionamento do casal como de toda a equipe. Passam então a interferir no trabalho do outro e, mesmo nos encontros de colegas, como ‘happy hour’ ou festas de comemorações da empresa. É preciso que se tenha em mente que cada uma das pessoas precisa estar bem com toda a empresa e não apenas com seu parceiro”.

Fugindo da rotina

Trabalhar juntos e se ver todos os dias pode desgastar o relacionamento. Como fazer para não cair na mesmice? A mediadora de conflitos revela: “Qualquer relacionamento em que os pares não preservam a individualidade está fadado ao desgaste. No ambiente de trabalho é importante que mantenham suas relações de amizade e não se afastarem dos colegas, por exemplo. Um casal bem resolvido vai saber lidar muito bem com essa situação, não permitindo que a relação seja prejudicada pelo excesso de tempo juntos”.

Namoro proibido

Algumas empresas ainda não aceitam o fato de um casal trabalhar no mesmo local. O que fazer nesse caso? “Talvez se deva pensar em mudar de emprego ou mesmo de manter o relacionamento exclusivamente fora do ambiente de trabalho. No entanto, muitas empresas estão revendo essa questão, considerando que a qualidade de vida pessoal é importante para a produtividade profissional. Existem empresas que realizam trabalho educacional para mostrar maneiras práticas de como lidar com esse tipo de relacionamento no ambiente profissional. Algumas apenas estabelecem o que é ou não permitido. De qualquer forma, não observar essas determinações pode trazer grandes problemas”, pontua a especialista.

 

Consultoria: Suely Buriasco – Mediadora de Conflitos e Educadora. Em breve lançará o livro Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois, pela Novo Século Editora.

 

Mais lidas