Mitos e verdades sobre o câncer

Ainda um mistério até mesmo para a ciência, a doença é cercada por dúvidas e “achismos”. O oncologista Ricardo Caponero diz o que realmente procede nas declarações mais frequentes sobre câncer. Confira!

 

Foto: Shutterstock Images

Aquecer ou congelar comida em vasilha plástica pode causar tumores.

"Supostamente, sim. Alguns tipos de plástico podem liberar dioxinas quando aquecidos, e essa é uma substância cancerígena. O ideal é só utilizar utensílios próprios para micro-ondas ou freezer."

Foto: Shutterstock Images

Sé tem câncer de mama mulheres com mais de 40 anos.

"Não. A incidência é muito baixa antes dos 20 anos e aumenta muito lentamente dessa idade até os 40 anos. Mas, a partir daí, a incidência cresce de forma importante até os 70 anos."

Foto: Shutterstock Images

Não engravidar favorece o surgimento de tumores no aparelho reprodutor feminino.

"Deixar de ter filhos só aumenta o risco de se ter câncer de mama, mas é uma probabilidade discreta."

Foto: Thinkstock/Getty Images

Parentes meus tiveram câncer, então deverei ter também.

"Alguns tipos de tumores têm relação com síndromes genéticas hereditárias. Então, é preciso saber quais são os tumores e qual a relação de parentesco entre as pessoas afetadas. Mas, mesmo em casos onde evidentemente há um caráter hereditário, o máximo que se pode dizer é que há um risco maior, nunca uma certeza."

Foto: Shutterstock Images

A luz do monitor de computador é suficiente para causar câncer de pele.

"Não há riscos, principalmente agora que a tela da maioria dos monitores é de LCD (Liquid Cristal Display) ou de plasma."

Foto: Thinkstock/Getty Images

Bebida à base de aloe vera (babosa) ajudam a curar câncer.

"De forma alguma. É só mais um mito que surge periodicamente na oncologia. Já tivemos a mesma polêmica em torno do confrei, da pfáfia (ginseng brasileiro), da graviola, etc. Inclusive, o uso da babosa com essa finalidade foi proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foto: Thinkstock/Getty Images

Dieta ruim é a grande responsável por casos de câncer, superando até o tabagismo.

"Nada é mais maléfico que o tabagismo, mas uma dieta inadequada, associada a outros maus hábitos, também aumenta muito os riscos de se ter a doença. Vale lembrar que a influência hereditária não passa de 10% dos casos."

Foto: Shutterstock Images

Emoções negativas provocam câncer.

"Cientificamente não há nenhuma comprovação. O que se sabe é que o câncer, assim como outras doenças graves, pode fazer com que o indivíduo fique emocionalmente fragilizado. Mas é importante para o sistema imune que a pessoa busque equilibrar suas emoções."

Foto: Shutterstock Images

Além de causar diabetes e hipertensão, a obesidade também é um fator de risco para o câncer. 

"Sim. A obesidade modifica o ambiente hormonal do corpo e cria uma situação pró-inflamatória que pode favorecer o crescimento desordenado e defeituoso de células."

Foto: Thinkstock/Getty Images

Câncer reincidente tem menos chance de cura.

"Depende do tipo de câncer, tempo até a reincidência e extensão da doença na reincidência. Não existe uma regra geral para isso."

Foto: Shutterstock Images

Anemia não tratada vira leucemia (um tipo de câncer no sangue). 

"Na verdade, o caminho é oposto. A anemia pode ser um sintoma de leucemia, apontando que alguma disfunção está prejudicando a absorção de nutriente. Mas jamais é a sua causa."

Foto: Shutterstock Images

Tratamentos com células-tronco são as grandes promessas de cura do câncer.

"Infelizmente não. O grande futuro das células-tronco é a reparação de órgãos e seu uso como tratamento de câncer é improvável."

Foto: Shutterstock/Getty Images

Durante o tratamento contra tumores, o paciente deve ter uma alimentação comum.

"O ideal é que se tenha a avaliação e acompanhamento de um nutrólogo ou nutricionista, que fará um direcionamento mais adequado conforme cada caso em particular. As recomendações devem ser as mais apropriadas a cada situação."

Foto: Thinkstock/Getty Images

O excesso de ômega 3 causa tumores.

"Não existe comprovação. O uso adequado de ômega 3 e 6, presentes no óleo de peixe, nos pescados gordos e no azeite, tem um papel protetor contra a doença. Mas como em excesso nada é bom, o ideal é consumir a quantidade recomendada dos alimentos fontes, como 2 colheres (sopa) de azeite extravirgem ao dia."

Foto: Shutterstock Images

A radiação vinda do celular é cancerígena.

"Há alguma comprovação a esse respeito. Os dados são controversos, o risco aparentemente é baixo e, até o momento, nenhum país do mundo proibiu ou restringiu o uso de celulares."

Foto: Shutterstock/Getty Images

O uso frequente de micro-ondas causa câncer.

"Não. Não existe nenhuma comprovação científica que relacione o uso do aparelho coma  doença. Portanto, não é considerado um risco."

Foto: Shutterstock Images

Panelas, quando aquecidas, podem liberar substâncias que causam câncer.

"Não há comprovação alguma, apenas suposições."

 

Mais lidas