Intestino preguiçoso: saiba como dar adeus a esse problema

Gases, inchaço, sensação de peso e prisão de ventre são os problemas gastrointestinais mais comuns entre o público feminino. Essa informação é resultado de um estudo inédito no Brasil conduzido pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), com apoio da Danone Research, que fez um mapeamento sobre a Saúde Intestinal da Mulher (SIM). Veja os resultados e o impacto desses problemas na qualidade de vida.

 

Mulher de toalha no banheiro

Foto: Thinkstock/Getty Images

Dados reveladores

• A pesquisa foi realizada com 3.500 mulheres em dez cidades do país. Segundo Guilherme Rodrigues, responsável pela Danone Research no Brasil, as queixas intestinais estão em todas as regiões.

• De acordo com a pesquisa, 67% das mulheres apresentam algum tipo de distúrbio intestinal, sendo 57% (gases), 56% (inchaço), 46% (sensação de peso) e 26% (prisão de ventre). Apesar do incômodo, poucas mulheres buscam tratamento.

• “O assunto ainda é um tabu e um dos fatores que interferem de forma negativa é que muitas mulheres têm dificuldade em usar o banheiro fora de casa”, destaca Rodrigues.

• Outro dado relevante é que tais problemas afetam negativamente a vida sexual de 57% das mulheres. A pesquisa comprovou que 25% dizem que não conseguem aproveitar o momento, 24% têm medo de soltar gases durante a relação, 22% afirmam ter o apetite sexual reduzido e 17% param a atividade sexual quando sentem desconfortos digestivos.

• Além disso, o levantamento mostra que 62% das mulheres afirma que alterações no funcionamento do intestino afetam diretamente sua qualidade de vida, gerando angústia e estresse. Entre os sintomas mais agravantes estão sonolência e cansaço constantes, dificuldades para dormir e até para caminhar.

Cuidados importantes

• A frase “meu intestino é preguiçoso” passa a impressão de que ele não faz parte do organismo e a culpa pelo mau funcionamento é dele. Esse pensamento contribui para o problema não ser sanado.

• Sendo assim, o primeiro passo para melhorar a saúde intestinal é aceitar esse órgão como parte do corpo e cuidar dele. Apostar em uma dieta rica em fibras e líquidos é fundamental para fazê-lo trabalhar corretamente. E obedecer aos seus estímulos é uma mudança de comportamento importante.

• “Por isso, a vontade de evacuar não deve ser adiada, pois isso vai diminuindo o estímulo”, comenta José Galvão Alves, médico e presidente da FBG.

• Essas atitudes podem contribuir para o intestino funcionar sem a necessidade de medicamentos. “Aliás, é preciso cuidado com remédios e receitas caseiras que podem provocar uma desidratação e irritações”, avisa Alves.

Seja amiga do seu corpo!

– Conviver com a prisão de ventre como se fosse normal é um erro. “É importante um diagnóstico médico e tratamento adequado”, considera Sender Mitzputen, secretário executivo da FBG . Segundo ele, o funcionamento diário do intestino não é sinônimo de que está tudo bem. “Bom funcionamento intestinal é aquele que traz a sensação de eliminação completa das fezes. E isso pode acontecer apenas três vezes por semana”, ensina.

– Para finalizar, a antropóloga Miriam Goldenberg destaca que a mulher precisa entender melhor o próprio corpo. “A mulher não precisa ser uma princesinha cor-de-rosa. Ela tem de aceitar que o funcionamento do intestino e suas consequências fazem parte da natureza humana”, conclui.

 

Tags:

Mais lidas