Hormônios que ajudam a emagrecer

Hormônios que ajudam a emagrecer

Foto: Thinkstock/Getty Images

Antes de conhecer os benefícios da modulação hormonal, é preciso ficar claro o papel dos hormônios no organismo. Hormônios são substâncias químicas que agem nas reações metabólicas do corpo. Cada hormônio tem uma função específica: tem hormônio para regular o sono, atuar nas funções mentais, agir no estado de humor, manter a saúde cardiovascular em dia, controlar o sistema imunológico, comandar as funções ginecológicas das mulheres, transformar a gordura em energia. Por isso, quando ocorre uma queda na produção de alguns desses hormônios, a saúde fica em desequilíbrio, abrindo as portas para o envelhecimento precoce. Esse envelhecimento é percebido quando acontece a diminuição do tônus da pele e o aumento da gordura corporal, principalmente.

Equilibrar para resolver
De acordo com Rodolfo Strufaldi, professor na faculdade de medicina do ABC, de São Paulo (SP), através de exames clínicos é possível avaliar as deficiências hormonais de cada paciente e agir contra elas. Essas carências, na verdade, são caracterizadas pela queda da produção hormonal, que pode acontecer por diferentes motivos (e em diferentes faixas etárias). Entre os mais comuns destacam-se sedentarismo, má alimentação, estresse, menopausa e predisposição genética.

Com o avanço das pesquisas na área, já se sabe que uma mulher não precisa esperar a menopausa chegar para controlar a taxa dos hormônios, pois a partir dos 30 anos a queda na produção hormonal emite os seus primeiros sinais. Isso quer dizer que os hormônios não brecam a sua produção porque a pessoa envelhece, mas sim a pessoa envelhece porque suas taxas hormonais caem.

O papel da medicina anti-aging é justamente contribuir para o reequilíbrio dos hormônios, fazendo com que o organismo funcione como antigamente, retardando (e até adiando) a “velhice”. Portanto, quanto mais cedo você procurar alternativas para repor a ação de seus hormônios, mais feliz ficará com o resultado final!

Quem procurar
O primeiro passo para começar o tratamento é marcar uma consulta com um endocrinologista, pois é o profissional mais indicado para a realização dos exames. Depois de uma avaliação clínica, momento em que a paciente contará todo o seu histórico de vida e de saúde, o médico pedirá exames de sangue ou de saliva, dependendo da necessidade de cada pessoa.

Com os dados em mãos, o especialista dá início à terapia. Seus efeitos, em geral, podem ser sentidos em pouco tempo. Mas não estranhe caso demore meses para você perceber os benefícios da modulação hormonal, pois, assim como qualquer procedimento, ela atua de maneira distinta entre as pacientes.

Apesar de eficiente, o tratamento ainda não é barato, especialmente se for necessário fazer uso dos hormônios bioidênticos para equilibrar a taxa metabólica. Por isso, vale a frase: é melhor prevenir do que remediar!

Não resolve sozinha
Como já foi dito, através de exames clínicos, descobre-se o perfil hormonal da paciente, detectando suas necessidades específicas. A partir disso, o médico poderá dar início a um tratamento de equilíbrio metabólico para que a pessoa consiga atingir o nível hormonal desejado. Esse método é conhecido como modulação hormonal, que busca aumentar a produção dos hormônios, deixando-a equivalente ao tempo da juventude.

Diferente da reposição que conhecíamos no passado, a terapia de modulação hormonal trabalha com a paciente de maneira individual, por meio dos hormônios bioidênticos, que são exatamente iguais àqueles que as nossas glândulas produzem naturalmente. Antes, o equilíbrio metabólico era feito através de hormônios similares, extraídos de plantas e animais que, hoje, comprovadamente podem fazer mal para a saúde.

A medicina que atua contra a idade também trabalha em outras frentes para garantir o bem-estar absoluto da mulher. Por isso, além da terapia de modulação hormonal, é necessário mudar alguns hábitos diários, fugir de fatores como estresse e sedentarismo e investir em qualidade de vida. Outro fator que garante a eficácia da modulação hormonal é a alimentação saudável, uma vez que frituras, açúcares, massas em excesso e bebidas alcoólicas prejudicam a produção de diversos hormônios, principalmente o da tireoide.

 

Consultoria: Rodolfo Strufaldi, professor na faculdade de medicina do ABC, de São Paulo (SP); Antônio Carlos Minuzzi, endocrinologista e coordenador do curso de Longevidade Integrada da Clínica AmaDerm, do Rio de Janeiro (RJ)

 

 

Corpo e beleza

 

 

 

Para conferir mais dicas, adquira a revista Corpo & Beleza – já nas bancas!

 

 

 

 

Mais lidas