Gravidez após os 40 anos

Gravidez após os 40 anos

Foto: Shutterstock Images

Quando se trata de organismo feminino, a melhor hora para uma mulher engravidar é na faixa dos 20 anos. Contudo, as condições biológicas, em geral, são incompatíveis com os desejos e sonhos femininos. Estudo, carreira, independência financeira e o próprio casamento tardio empurram a gestação para 15, 20 e às vezes 30 anos depois da idade ideal. Nesses casos, a ciência pode dar uma forcinha: da fertilização in vitro ao transplante de ovário.

Riscos

Embora não exista uma idade limite para a mulher engravidar, é sabido que a partir dos 30 anos a fertilidade feminina começa a declinar, sendo que esse processo se acentua após os 35. “E há uma queda drástica por volta dos 41 anos”, complementa Caroline Alexandra Pereira de Souza, ginecologista e especialista em reprodução humana. Isso acontece porque a mulher já nasce com todos os óvulos, sendo que a qualidade destes vai se perdendo ao longo dos anos, assim como de todo o seu sistema reprodutor.

Doenças crônicas desenvolvidas com o avanço da idade, como a diabetes e a hipertensão, também interferem no desenvolvimento tranquilo de uma gestação. E mesmo quem não tem esses problemas possui mais chances de adquiri-los durante a gravidez.

Problemas genéticos

Quanto mais tarde a mulher engravidar, maiores são os riscos da criança ter alguma cromossomopatia, como a síndrome de Down. “Aos 40 anos, o risco (de gerar uma criança com) síndrome de Down é de 1% e, aos 45 anos, o risco é de quase 33%”, destaca.

Cuide-se!

Para quem pretende engravidar, a primeira coisa a fazer é procurar um ginecologista para realizar alguns testes para checar a saúde do aparelho reprodutor feminino. Na lista de exames obrigatórios estão mamografia, Papanicolau, ultrassonografia transvaginal e avaliação tireoidiana. Esse check-up é importante, pois quanto mais saudável o organismo está, menores são os riscos de complicações ao longo da gestação.

Fertilização

Quando se trata de técnicas de reprodução assistida, as possibilidades são muitas para quem pretende engravidar a partir dos 40 anos. “Inclusive, procedimentos como o PGD e o aCGH (técnicas de biópsia pré-implantacional de embriões) podem minimizar as chances de doenças genéticas nos embriões”, explica.

Ainda há a possibilidade de congelamento de óvulos enquanto eles ainda são jovens e saudáveis para serem fecundados e colocados na muher quando ela achar que é hora de engravidar. “Hoje também há estudos para o desenvolvimento de oócitos (células germinativas femininas) por meio das células tronco; e o primeiro transplante de ovário no Brasil aconteceu recentemente”, salienta. Ou seja, as possibilidades que a ciência oferece só tendem a crescer.

Cuidados extras

Uma vez grávida, a mulher que já passou dos 40 anos deve ter uma alimentação balanceada, ingerir bastante líquido e evitar situações de estresse elevado.  “Em casos selecionados, elas devem realizar atividades físicas sob a supervisão de profissionais capacitados”, completa Caroline.

 

Consultoria: Caroline Alexandra Pereira de Souza, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana da Clínica BMS. Fone: (11) 2478-5536

 

Mais lidas