Estresse pode atrapalhar o emagrecimento

Estresse pode atrapalhar o emagrecimento

Foto: Shutterstock Images

Conhecido como o mal do século XXI, o estresse é o esforço de adaptação que o organismo faz para enfrentar situações ameaçadoras à nossa vida e ao nosso equilíbrio interno. Hoje em dia, as pessoas ficam estressadas por conta da rotina corrida, por pressão no trabalho, preocupações com a família… Mas estresse vai muito além de irritação e cansaço. Ele altera o funcionamento dos hormônios do organismo e baixa a imunidade, fazendo com que a pessoa fique mais vulnerável à doenças infecciosas e a outros distúrbios como constipação, diarreia, perda de memória, de concentração, etc.

Você está estressada?
Para uma pessoa saber se está estressada, ela deve primeiramente conhecer a si mesma. As atitudes ficam mais agressivas e isso é percebido no cotidiano. Os sintomas mais comuns são dores musculares e de cabeça, irritação, perda de sono e de memória, além de alteração alimentar. “Nos momentos de estresse, deverão ser evitados quaisquer tipos de confronto, interno ou externo. O importante é o indivíduo conseguir identificar que se encontra estressado e, a partir daí, procurar ‘sair’ da situação estressante”, orienta o psicólogo Fernando Elias José.

Balança x hormônios
Os hormônios muitas vezes são os responsáveis pelo aumento do peso. E o cortisol, conhecido como o hormônio do estresse, é uma substância produzida em excesso durante os desequilíbrios hormonais. Ele aumenta a ansiedade, a produção de células adiposas e ainda dificulta a queima de gorduras já existentes! Segundo a nutricionista Andréia Carrara, da clínica Emagrecentro, a ansiedade causada pelo cortisol se manifesta como um vazio na região abdominal. Por isso, a pessoa ansiosa come o tempo todo para tentar acabar com essa sensação. Os níveis de serotonina também caem nesse período estressante. É importante que ela se mantenha ativa no organismo porque é a grande responsável pela sensação de bem-estar, controle do sono e do apetite, o que favorece o emagrecimento.

Descontando na comida
A maioria das pessoas desconta comendo muito. Só que o alívio é momentâneo e, depois de um tempo, a ansiedade volta junto com a vontade de comer. As consequências emocionais resultam em mais estresse, tristeza e frustração, porque a causa real do problema não foi combatida. Fisicamente, a pessoa ganha mais peso e corre risco de desenvolver problemas estomacais e intestinais por causa da quantidade de comida ingerida.

Xô estresse, xô barriga!
Para não deixar o estresse vencer e você ficar com uma barriguinha saliente, especialistas dão dicas:

– Para aliviar o sintoma do estresse, tenha uma dieta rica em proteínas, vitaminas do complexo B como leite de soja, carnes vermelhas, legumes, fígado, e vitamina C como laranja, limão e acerola;

– Aumente a produção de serotonina comendo banana e tomate, que são ricos em triptofano;

– A prática de exercícios físicos é fundamental para manter o nível de serotonina alto no corpo, além de fazer perder calorias e gordurinhas abdominais;

– Não exagere no consumo de alimentos gordurosos, com muito açúcar e sal refinado. Uma refeição equilibrada, de um modo geral, é o mais indicado para se manter longe do estresse;

– Coma de 3 em 3 horas, e não o tempo todo;

– Durma em média 8 horas por noite;

– Evite alimentos e bebidas que estimulam o sistema nervoso central como chocolate, café, refrigerantes à base de cola e alguns chás;

– Atitudes impulsivas devem ser evitadas como atacar a geladeira, comer uma barra de chocolate inteira, etc;

– Quando o estresse evolui para um quadro depressivo, é necessário procurar um profissional como psicólogo ou psiquiatra para ajudá-la a reverter o quadro.

Consultoria: Andréia dos Santos Carrara, nutricionista de São Paulo (SP); Fernando Elias José, psicólogo de Porto Alegre (RS); Denise Pierry e Sandra da Fonte, nutricionistas da clínica MJ Santé, de Porto Alegre (RS)

 

 

Só dietas especial

 

 

 

Para conferir mais dicas, adquira a revista Só Dietas Especial – já nas bancas!

 

 

 

 

 

Mais lidas