Entrevista: Lázaro Ramos fala sobre preparação para Lado a Lado

Lázaro Ramos em coletiva de Lado a Lado

Foto: Renato Rocha Miranda / Rede Globo

 

Um ano depois dar vida ao mulherengo André Gurgel em Insensato Coração, Lázaro Ramos está de volta às novelas. Dessa vez, ele vai dar vida à Zé Navalha, mais um herói, só que dessa vez, no horário das seis. Novamente ao lado de Camila Pitanga, ele descarta o rótulo de grande galã negro da televisão na atualidade. E diz que há mais gente boa no mercado, torcendo para que todos tenham a mesma oportunidade. Quando o assunto é a esposa Taís Araújo e o pequeno João, o sorriso até muda e o ator é só elogios aos dois. Confira o bate-papo:

 

Guia da TV: Você está de volta, pouco tempo depois do André Gurgel, de Insensato Coração. O que te seduziu neste convite?
Lázaro: “A gente tem a sensação de que foi muito perto, mas faz mais de um ano que Insensato Coração acabou . Essa é uma novela mais enxuta. Eu penso nisso: quero estar em projetos com os quais eu me identifique, não importa se é novela, filme ou minissérie. E tenho muito prazer cada vez que eu venho aqui, nesse lugar que fica a uma hora e meia da minha casa.”
Guia da TV: Ele é um capoeirista. Como são feitas essas cenas?
Lázaro: “As cenas são bem trabalhosas. A novela me emociona particularmente por tratar disso. Fico emocionado com a emancipação que as mulheres estavam buscando e encantado em poder falar dessa cultura, dessa maneira. As cenas de capoeira dão um trabalho que vocês não fazem ideia! Nunca dá para fazer mais de uma cena por dia. Mas esse é um mérito da direção, que está gravando no tempo necessário para as cenas serem o mais bem feitas possível.”

 

Guia da TV:  Como você se prepara para essas cenas?
Lázaro: “Eu e o Marcelinho Mello ensaiamos toda semana, com o mestre Cocoró. E sempre que tem coreografia, nos esmeramos ainda mais. Está lindo!”
Guia da TV: Você já jogava capoeira?
Lázaro: “Jogava, na época de Madame Satã, mas parei faz dez anos.”
Guia da TV: Que outro tipo de preparação você fez para a novela?
Lázaro: “Aprendi a lidar com navalha e tive aulas de dança com o Jayme Aroxa. Mas isso ainda está na minha memória: a dança que está acontecendo na novela, na minha cabeça, é a que eu fazia com 16 anos, lá na Bahia. É muito bacana também, porque como estamos falando de capoeira e samba, em um momento em que ainda não tem uma identidade formada, estamos usando um pouco da nossa criatividade, para entender o que seria esse início. Estamos criando alguma coisa também.”

 

Guia da TV: De que forma você visitou o século em que a novela se passa?
Lázaro: “Eu vi filmes, li livros, mas na capoeira, especialmente, tem uma coisa muito bacana que é a gente ter imagens de capoeiristas. Você vê entrevistas de pessoas que estão velhinhas, mas dá para entender a postura, a relação dele com a capoeira. Até o nosso próprio professor de capoeira tem um conhecimento. E o texto do João e da Claudia é muito rico em informações. Você tem que estar antenado. Cada bloco de capítulo que você recebe, tem que dar uma pesquisadinha para saber o que a história está contando. Agora, recebi os capítulos da Revolta da Chibata e estou estudando essa fase da história.”

 

Guia da TV: Você pertence a uma nova safra de atores negros, que vem sendo bem sucedidos. Acha que ainda faltam atores ou ainda falta espaço para eles?
Lázaro: “Não faltam atores negros que sejam estrelas. De talentos, está cheio, tem muita gente boa e espero que esses atores que eu reconheço tenham as mesmas oportunidades que a gente tem de protagonizar uma novela e contar histórias.”

 

Guia da TV: Você é um pai presente?
Lázaro: “Muito! Acho isso muito importante. Às vezes, os pais não aproveitam o privilégio que é ser um pai presente, cuidar do seu filho. Ele precisa disso para se desenvolver. Eu tive um pai que foi assim e é o maior exemplo que eu tive na vida. Meu pai foi um cara responsável, saiu de uma cidade pequena, se formou, me deu a melhor educação possível. Espero ser esse pai também. E espero que um dia, quando meu filho for dar uma entrevista, diga isso também de mim.”

 

Guia da TV: Você acompanhou o trabalho da Taís em Cheias de Charme?
Lázaro: “Sim! Adorei a novela! Foi muito divertida e teve humor. E eu ainda torcia pelo Sandro! O Sandro amava a Penha. Eu sei que estou todo errado, mas torcia pelo casal.”

Mais lidas