Entrevista com Wesley Sathler

Entrevista com Wesley

Foto: Alex Korolkovas

 

Ele não para! Wesley Sathler já foi colunista social, viajou para mais de 50 países, lançou quatro livros e hoje curte o sucesso no programa SuperPop! Com o quadro A Patroa É Um Avião, Wesley aproveita para explorar um outro lado da profissão de jornalista e comemora poder falar com o grande público. Nesta entrevista, Wesley fala sobre o programa e a amizade com Luciana Gimenez, além de revelar os planos para o futuro. “Gostaria de encarar a briga pela audiência aos domingos. Sou doido para entrar na arena!”, revela. Confira o bate-papo:

Guia da TV: Para você, o que tem de mais interessante no quadro A Patroa É Um Avião?
Wesley: “Esse quadro é um desafio enorme para mim: não venho do mundo da moda, não sou casado, mas tenho que opinar e tenho que agir como o patrão, tenho que criticar e nunca ofender. O desafio em si é o mais interessante, seguido, é lógico, do resultado, que é a felicidade do casal participante. Mudar, para melhor, requer poucos passos, mas importantes decisões. A roupa só reflete o que se passa por dentro de alguém.”
Guia da TV: Qual a diferença entre trabalhar com jornalismo e em um programa de auditório?
Wesley: “Tenho que ser mais descontraído, mais dinâmico e menos erudito. Antes, eu trabalhava com viagens e  reportagens culturais. Gravei em 50 países, editei quatro livros e a abordagem era mais formal, porém sempre com leveza. Hoje, percebo que ganhei um desafio maravilhoso e vejo, em mim, que já mudei consideravelmente. Desde o jeito de me vestir até o de me apresentar. Estou adorando e quero continuar me comunicando com o grande público.”

Guia da TV: Sobre o o que falam os seus livros?
Wesley: “Um fala das minhas realizações na tevê do Espírito Santo, por ter sido o primeiro programa de colunismo eletrônico de lá. O segundo fala sobre pensamentos de líderes mundiais que mudaram a história. O terceiro é um manual de comportamento divertido, que diz o que é chique e o que é brega em termos de atitude. Agora vou lançar um que chama-se Cadeira de Rodas & Romances Ingleses. Fala sobre um encontro inusitado que eu tive com um paraplégico nos Estados Unidos, quando eu só tinha 18 anos. Posso adiantar que coloquei todo meu coração e verdade em cada palavra. Tem aventura, tristezas e superação.”

Guia da TV: O que você ainda espera alcançar na profissão?
Wesley: “Gostaria de encarar a briga pela audiência aos domingos. Sou doido para entrar na arena!”

Guia da TV: Do que você sente falta na tevê?
Wesley: “De bons contadores de história. Às vezes, acho que os autores de novelas só reciclam fórmulas já usadas e abusadas. Uma boa história, bem contada, nem precisa de grandes produções. Saudades de Escrava Isaura, Dancing Days, Hilda Furacão e a maravilhosa Xica da Silva, com Taís Araújo.”

Guia da TV: Como é sua relação com a Luciana Gimenez?
Wesley: “De respeito e camaradagem. Respeito o palco quando estou com ela ao vivo. Sempre sou convidado para suas festas mais íntimas, em sua casa, convivo com sua mãe, filhos e marido. Quem conhece a Luciana sabe que ela é bem seletiva. Mas sempre deixo que ela dê o tom da conversa. Não gosto de amizade que gruda, que empurra, que abusa. Menos é sempre mais, até nas amizades.”

Mais lidas